Reprodução
Reprodução

Vestibular: os documentários e sua leitura do mundo

Com a ajuda de professores da Unesp, listamos 15 filmes importantes

VIVIANE ZANDONADI- ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

25 Maio 2015 | 15h07

Em entrevista ao jornal O Globo, publicada há mais ou menos um mês, o crítico de cinema e criador do festival internacional de documentários É Tudo Verdade, Amir Labaki, disse: “Somos metralhados por informação o tempo inteiro, e os discursos não ficcionais nos dão uma leitura particular do mundo.” O documentário é, como gênero de filme, um produto de informação que causa impacto e provoca reflexão no espectador. Sua “leitura particular do mundo” pode ser mais ou menos subjetiva, realista, didática, poética e/ou crítica, a depender do roteiro, das escolhas e do processo criativo do cineasta.

Quais seriam os documentários mais importantes para quem sem prepara para as provas do vestibular? Ainda que uma bem-intencionada lista seja ela mesma subjetiva, um tanto arbitrária e incapaz de esgotar o assunto, o Estado levantou de modo preliminar algumas possibilidades, a exemplo de A Caverna dos Sonhos Esquecidos, de Werner Herzog, Muito Além do Peso, de Estela Renner, e F for Fake – Verdades e Mentiras, de Orson Welles.

A mesma pergunta foi feita aos professores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Cristiane Passafaro Guzzi, Jezio Hernani Bomfim Gutierre, Nelson Pedro-Silva e Pelópidas Cypriano. Dessa pesquisa, surgiu a seleção abaixo, organizada em ordem cronológica. Vale lembrar que não se trata de filmografia obrigatória. Não é matéria de prova. Igual às indicações anteriores, de ficção são filmes para ver quando não estiver estudando.

Civilização (1969)

Série da BBC. “Kenneth Clark, mesmo que definindo uma visão muito pessoal e ortodoxa da trajetória cultural do Ocidente, consegue chegar a um painel espetacular, tão apaixonante quanto polêmico”, diz  o professor Jezio Hernani Bomfim Gutierre, da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp de Marília.

F for Fake – Verdades e Mentiras (1973)

O último longa de Orson Welles discute fraudes e falsificações ao investigar o húngaro Elmyr de Hory, talvez o maior falsificador da história, um pintor cujo talento principal era saber falsificar bastante bem. O próprio Orson Welles conta no filme sobre quando em 1938 simulou em um programa de rádio a invasão marciana na Terra, convencendo muitos ouvintes.

Grey Gardens (1975)

A decadência e o relacionamento de duas mulheres de origem aristocrática e que vivem em uma casa devastada em East Hampton, perto de Nova York. Edith Ewing Bouvier Beale e sua filha Edith Bouvier Beale são Big Edie e Little Edie, tia e prima de Jacqueline Kennedy Onassis. Elas mesmas contam sua história, dirigidas por Albert e David Maysles.

Tem Coca-Cola no Vatapá (1977)

O documentário-ficção dirigido por Rogério Corrêa e Pedro Farkas fala da ocupação do mercado cinematográfico brasileiro pelo produto estrangeiro. “É inspirador para vestibulandos de audiovisual, rádio e TV, cinema e artes”, diz Pelópidas Cypriano, do Instituto de Artes da Unesp. O crítico Paulo Emílio Salles Gomes escreveu parte do roteiro e atuou no filme.

Jânio a 24 Quadros (Luís Alberto Pereira, 1981)

Em 84 minutos, Luís Alberto Pereira documenta trinta anos de política brasileira, usando como personagem principal o controverso Jânio Quadros e sua notória vassourinha. “É um documentário diferenciado, com interpretação de atores”, explica Pelópidas Cypriano, professor do Instituto de Artes da Unesp.

Cabra Marcado para Morrer (1984)

O clássico longa de Eduardo Coutinho acompanha a trajetória de Pedro Teixeira e sua liga camponesa de Sapé, na Paraíba. Teixeira, que defendia a reforma agrária, foi assassinado por um latifundiário em 1962. O filme começou a ser feito em 1964, foi interrompido na ditadura e só seria concluído vinte anos depois. “Dos diálogos de Coutinho com a mulher do cabra – Elizabeth Teixeira, mãe de dez filhos – surgiu uma obra fundamental do cinema brasileiro”, escreveu Luiz Carlos Merten.

Ilha das Flores (1989)

Retrato irônico e divertido da sociedade de consumo por meio da trajetória de um tomate, desde a fazenda do senhor Suzuki, que planta para vender, até o supermercado e a sacola de compras da Dona Anete, que “usa seu telencéfalo altamente desenvolvido e seu polegar opositor para trocar perfumes por dinheiro”. Premiado curta-metragem de Jorge Furtado.

The Wonderful Horrible Life of Leni Riefenstahl (1993)

Cinebiografia de Leni Riefenstahl, bailarina, atriz e cineasta alemã, acusada de nazista e conhecida por ser a diretora preferida de Adolf Hitler. A pedido de Hitler, Leni dirigiu, entre outras peças que propagandeavam a ideologia nazista, o filme O Triunfo da Vontade, documentário político sobre o congresso do Partido Nazista em 1934, em Nuremberg.

Richter: the Enigma (1998)

Bruno Monsaingeon entrevista o pianista russo Sviatoslav Richter, considerado por muitos o maior de seu tempo. As gravações foram feitas um pouco antes de sua morte, em 1997. “É um extraordinário passeio pelo cenário musical do século XX”, diz Jezio Hernani Bomfim Gutierre, doutor em filosofia e professor da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp de Marília.

Uma Verdade Inconveniente (2006)

Documentário de David Guggenheim com roteiro e apresentação de Al Gore, que foi vice-presidente dos EUA no governo de Bill Clinton. Gore é famoso por percorrer o mundo alertando plateias sobre o aquecimento global e a inação (ou ação errada) diante das causas e consequências das mudanças climáticas. Uma espécie de fim do mundo, como é conhecido.

A Caverna dos Sonhos Esquecidos (2010)

Documentário de Werner Herzog sobre a caverna de Chauvet, no sul da França, e sua extraordinária coleção de 400 pinturas pré-históricas feitas há 30 mil anos. São as mais antigas representações artísticas já encontradas, o que o diretor chama de “nascimento da alma humana”. Só por meio do filme é possível conhecê-las, já que apenas poucos pesquisadores e especialistas podem entrar na caverna.

Inside Job (2010)

“Se os sonhos dos financistas viram pesadelos, os outros é que pagam”, diz um dos entrevistados desse documentário vencedor do Oscar em 2011. O filme investiga as raízes da crise financeira mundial de 2008, a maior desde o crash de 1929. Dirigido por Charles Ferguson. A narração é de Matt Damon.

Muito Além do Peso (2012)

O filme de Estela Reinner tenta entender por que 33,5% das crianças brasileiras estão acima do peso e faz uma reflexão incômoda e profunda não só sobre a obesidade infantil, mas o modo como as pessoas consomem e se relacionam com a comida e a comida industrializada e ultraprocessada.

Sebastião Salgado - O Sal da Terra (2014)

Wim Wenders filmou a trajetória do fotógrafo e ambientalista Sebastião Salgado em parceria com Juliano Salgado, seu filho. Luiz Carlos Merten escreveu. “É um filme que permite múltiplas leituras. Retrata o Sebastião fotógrafo e ambientalista, aborda um pai pelo olhar do filho e, para Wenders, que já fez Paris,Texas, é outro olhar sobre a ligação pai/filho.”

Últimas Conversas (2015)

Terminaram em 2013 as filmagens do último filme do diretor e conversador Eduardo Coutinho, que foi assassinado por seu filho em fevereiro de 2014. O trabalho ainda não estava pronto e foi concluído depois por seu amigo João Moreira Salles e a montadora Jordana Berg. Os entrevistados, dessa vez, são adolescentes de bairros pobres, que falam de sonhos e medos. Retrato de juventude. Leia a avaliação dos críticos do Estado.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.