Caio Caciporé
Caio Caciporé

Quais séries retomam aulas primeiro em setembro? Tire dúvidas sobre plano para escolas em SP

Escolas podem retomar as aulas no dia 8 de setembro desde que o Estado inteiro se encontre há 28 dias consecutivos na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo

Érika Motoda e Renata Cafardo, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2020 | 19h03
Atualizado 18 de julho de 2020 | 11h17

Correções: 18/07/2020 | 11h17

O governo de São Paulo anunciou no dia 24 de junho que as escolas poderão retomar as aulas no dia 8 de setembro desde que o Estado inteiro se encontre há 28 dias consecutivos na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo. Ou seja, se apenas uma das 17 regiões do Estado estiver na fase 1 (vermelha) ou 2 (laranja) depois do dia 11 de agosto, o retorno não acontecerá. Nesta sexta-feira, 17, o secretário de Educação, Rossieli Soares, reafirmou a previsão após questionamentos à programação. Veja a seguir as principais regras:

Quando será a volta às aulas em São Paulo?

A retomada das aulas está prevista para começar no dia 8 de setembro de forma escalonada e contempla alunos do ensino infantil, fundamental, médio, superior e técnico. As aulas só voltarão quando as 17 regiões do Estado estiverem na fase 3 do Plano São Paulo, a amarela, durante 28 dias. Hoje há quatro regiões na fase vermelha, dez na laranja e três na amarela.  

O governo mudou a data da volta às aulas?

Não. O secretário de Educação, Rossieli Soares, disse nesta sexta-feira, 17, que o governo mantém a programação. A declaração ocorre após o secretário executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo, responder a um questionamento de que o governo poderia reavaliar o que foi definido, o que foi classificado como um "desencontro de informações".

Apesar disso, uma mudança não está descartada. "As datas nós vamos medindo. No dia 24 de julho teremos outro boletim, no dia 4 de agosto teremos outro boletim, e, se não entrarmos dentro das condições, não será necessariamente naquela data. Tem muito estudo saindo neste momento mundo afora, e nós estamos em constante debate, seja para os estudos mais duros, seja para os mais brandos", completou Soares.

Como será o início das aulas em São Paulo?

35% dos alunos de cada escola podem retomar as aulas presenciais. 

É possível voltar só uma série de uma escola?

Sim, a escola ou rede de ensino poderá escolher quais alunos estarão dentro desses 35%. Podem ser 35% de todos os alunos da escola, com rodízio em que mudam todo dia os que frequentam a escola. Ou mesmo apenas alunos do ensino médio, por exemplo.

Como serão as segunda e terceira etapas?

A etapa 2 acontece quando 60% das regiões do Estado estiverem na fase 4 (verde) do Plano São Paulo, durante 14 dias. Aí, já podem voltar 70% dos alunos da escola.  A última fase acontecerá se pelo menos 80% das regiões estiverem na fase 4 (verde) do  Plano São Paulo, também por 14 dias. Nessa fase, 100% dos alunos podem retomar as atividades essenciais.  

Mas o que dizem mesmo as fases 3 e 4 do Plano São Paulo?

O Plano São Paulo é o plano de cinco etapas da retomada das atividades econômicas. Cada região do Estado foi categorizada de acordo com dois critérios: capacidade do sistema de saúde e a evolução da epidemia no local. 

A fase 3 (amarela) permite a reabertura de salões de beleza, bares, restaurantes e similares, além dos shoppings e comércio de rua. E a fase 4 (verde) amplia a permissão de funcionamento para academias e afins. São Paulo nunca esteve com todas as regiões no amarelo. 

É possível que as aulas não voltem nesta data?

Sim, dia 8 de setembro é apenas uma previsão de que pandemia esteja controlada no Estado a ponto de haver uma flexibilização. A condição primordial de retorno é que as 17 regiões de São Paulo estejam na fase 3 (amarela) por pelo menos dois ciclos consecutivos (28 dias). Ou seja, o Estado inteiro já deve estar na fase 3 até o dia 11 de agosto se quiser reabrir no dia 8 de setembro. 

Quais alunos vão retornar primeiro? 

As escolas municipais e as escolas particulares terão liberdade para tomar decisões sobre que séries voltam antes. É possível que as escolas estaduais decidam fazer um rodízio com todos os estudantes, mas há também a prerrogativa de escolher apenas ou duas séries para retornar. O importante é não exceder a capacidade escolar de 35%. 

A escola pode voltar antes da determinação do Estado?

Apesar do plano estadual de volta às aulas contemplar todas as etapas, segundo a legislação, a educação infantil é de responsabilidade das prefeituras, que têm autonomia.

Como vai funcionar a fiscalização durante a retomada? 

A recomendação para instituições de ensino públicas e privadas é de aferir a temperatura das pessoas a cada entrada. Recomenda-se que, antes de sair de casa, os pais façam a aferição da temperatura dos filhos; se estiver acima de 37,5 graus, deve-se permanecer em casa também. E os horários de entrada e saída devem ser organizados de forma que não haja aglomeração e nem aconteça no horário de pico do transporte público.

Todas as atividades serão retomadas? 

Não. Qualquer atividade que provoque aglomeração está proibida. Portanto, não haverá feiras, palestras, seminários, competições e assembleias. 

Além disso, o governo recomenda que as atividades aconteçam preferencialmente em espaços abertos e que se evite o uso de ventilador e ar-condicionado. Até os intervalos e recreios devem acontecer em horários alternados. 

O que acontece se um aluno, professor ou funcionário tiver suspeita ou diagnóstico de covid-19?

Pessoas sintomáticas não devem ir a escola. Aqueles que pertencem a algum grupo de risco, como idosos, hipertensos e diabéticos, também devem permanecer em casa e realizar as atividades remotamente durante a primeira etapa do plano de retorno às atividades presenciais.

O protocolo de retomada das aulas também vale para cursos de inglês e de informática? 

Não. A educação complementar não é regulada pelo governo estadual. Cursos de inglês e informática devem seguir as regras do Plano São Paulo, que autoriza esses cursos já na fase 3 (amarela).

Quando vai terminar o ano letivo? 

De acordo com o novo calendário elaborado pelo governo de São Paulo, já levando em consideração a pandemia do coronavírus, o último dia letivo de 2020 está previsto para o dia 23 de dezembro. Confira o cronograma completo neste link



Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Correções
18/07/2020 | 11h17

Ao contrário do informado inicialmente, a data limite para que todas as regiões do Estado entrem em fase amarela, a fim de que o retorno das aulas seja em 8 de setembro, é 11 de agosto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.