Qual é o papel da escola e do educador do século XXI?

Colégio Equipe

23 Março 2016 | 07h00

Novas formas de acessar informações e dados com a internet onipresente em equipamentos fáceis de manusear, novas formas de se relacionar por meio de redes sociais também rápidas e de utilização simples, uma vida social e econômica em constante mudança, causando a impressão de que há mais fatos e acontecimentos do que a capacidade pessoal de reconhecê-los e de entendê-los. Nesse contexto, qual seria o papel do educador e da escola? Transmitir o saber sistematizado às novas gerações? Preparar as novas gerações para o futuro? Como fazer isso se as novas gerações parecem dominar mais o mundo contemporâneo do que os adultos responsáveis por sua educação?

SAM_3660Atividade de integração de jovens do Jd. Ângela com estudantes do Colégio Equipe

Como diz Hanna Arendt, “A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele (…). A educação é, também, onde decidimos se amamos nossas crianças o bastante para não expulsá-las de nosso mundo e abandoná-las a seus próprios recursos, e tampouco arrancar de suas mãos a oportunidade de empreender alguma coisa nova e imprevista para nós (…)”. (p. 247) E ainda diz mais: “(…) o conservadorismo, no sentido de conservação, faz parte da essência da atividade educacional, cuja tarefa é sempre abrigar e proteger alguma coisa – a criança contra o mundo, o mundo contra a criança, o novo contra o velho, o velho contra o novo”[1]. (p. 242)

[1] Hannah Arendt, “ A crise da educação” em Entre o Passado e o Futuro, São Paulo, Editora Perspectiva, 1997.

Danilo

Cartaz produzido por alunos do 8º ano no curso de Multimeios

É pensando nessa dupla direção do processo educativo, que, para nós no Colégio Equipe, a finalidade da educação não é apenas a de preparar crianças e jovens para o futuro, mas introduzi-los no mundo da cultura, ou seja, a educação deve criar condições para que eles desenvolvam ferramentas que os tornem capazes de compreender o mundo em que vivem, de se identificar com ele e atribuir novos significados à herança cultural presente nele. Nesse sentido, seja qual for o século, o papel da escola e de seus educadores é o de socialização do saber sistematizado construído pela humanidade. É justamente a necessidade de que as novas gerações se apropriem desse conhecimento que justifica a existência da escola e o trabalho do educador.

SAM_3635Atividade de integração de jovens do Jd. Ângela com estudantes do Colégio Equipe

Por outro lado, a escola e seus educadores estão inseridos no mesmo contexto sociocultural e também sofrem institucionalmente os impactos das novas formas de saber e de se relacionar socialmente. Especialmente porque as novas tecnologias e as ferramentas digitais passam a modificar as formas de aprender e de interagir socialmente, a escola e seus educadores têm de enfrentar o desafio de entender que modificações são essas e de que forma interferem nas relações professor-aluno-conhecimento. A escola e seus educadores não podem deixar de se dedicar a essa questão.

MariahCartaz produzido por alunos do 8º ano no curso de Multimeios

É por isso que a tecnologia e suas possibilidades de informar e comunicar devem fazer parte do currículo da escola hoje em todos os ciclos. Não só como recursos técnicos para favorecer a aprendizagem como também como conteúdos de estudo e tema de reflexão. Por isso, há alguns anos introduzimos disciplinas como Multimeios, Tecnologias, Leituras de Imagens e Leituras de Mídias Informativas no Ensino Fundamental II. Alguns trabalhos realizados nessas disciplinas já foram publicados neste blog (link). Nossa intenção é que esses cursos, pautados em algumas ferramentas digitais, contribuam para que nossos alunos aprimorem suas possibilidades de leitura dos mais diversos textos que circulam socialmente e que ampliem sua capacidade de argumentação, seus recursos expressivos, seus procedimentos de investigação, aperfeiçoando a forma como utilizam a tecnologia.

SAM_3612Atividade de integração de jovens do Jd. Ângela com estudantes do Colégio Equipe

Também para favorecer que os alunos relacionem o que aprendem na escola com a realidade em que estão inseridos, na 3ª série do Ensino Médio são oferecidos Cursos Temáticos, que abordam questões da contemporaneidade a partir de referenciais teóricos importantes do ponto de vista histórico e cultural. O cinema é um documento histórico? Como a experiência da Arte se contrapõe à supremacia da imagem? Como a juventude brasileira se posiciona em relação às perspectivas de gênero, classe e etnia? O que é religião? São Paulo tem jeito? São algumas das questões propostas para estudo e debate entre os alunos da 3ª série.

LuizaCartazes produzido por alunos do 8º ano no curso de Multimeios

Relacionando fenômenos contemporâneos com conceitos e teorias de grandes áreas do conhecimento, articulando fatos históricos com acontecimentos recentes, acreditamos que assim nossos alunos estejam preparados para enfrentar o século XXI. Não porque tenham conhecimento acumulado, mas porque são capazes de relacionar o que aprenderam com o que vivem e, portanto, sabem fazer boas perguntas para si próprios e para o mundo.

Luciana Fevorini
Diretora Escolar e Orientadora Educacional e Pedagógica da 3ª série.