Álbum afetivo da cidade de São Paulo

Colégio Equipe

09 Setembro 2015 | 07h00

123Cotidiano da cidade – Jennifer Nascimento – Minhocão, São Paulo, 2015.

A “cidade é como um texto que, para se compreender, é preciso saber ler e analisar” nos sugeriu Claude Lévi-Strauss, e foi na busca de interpretar esse texto que o curso de Leitura de Imagens, do 8º ano, do Colégio Equipe, e seu trabalho final se estruturaram. A fugacidade das imagens dessa cidade foi o que nos impressionou. Como atribuir sentido ao lugar em que vivemos, mas que se constrói ao nosso olhar de maneira tão fugidia – como imagens sobrepostas que passam por nós sem que ao menos estivéssemos dispostos e preparados a nos deter nelas por alguns minutos, a despeito dos segundos?

O Álbum afetivo da cidade de São Paulo que os alunos do 8º ano produziram é uma tentativa de responder a essa questão e o resultado de um semestre de conversas, negociações, leituras, análises, fotografias vistas, imaginadas e realizadas, memórias, muito trabalho e afeto.

Imagens 211

Foi no compartilhar das memórias que cada um deles possuía do quarteirão em que vive ou viveu, que os alunos se depararam com a fugacidade do tempo das imagens da cidade de São Paulo. Foi a partir do despertar para as estranhas (des)continuidades que marcam o cotidiano de mudança da cidade, que eles se voltaram ao passado e debruçaram-se sobre os registros fotográficos de São Paulo realizados por Militão Azevedo e Guilherme Gaensly, presentes no acervo do Instituto Moreira Salles (IMS).

Nesses registros, realizados na passagem do século XIX para o XX, compreenderam uma parte do desenvolvimento urbano de São Paulo, em sua transformação de uma cidade provinciana em um projeto de metrópole. Assim, construíram um caminho que os levaria ao presente e às imagens que vemos na rua, percebendo que encontrariam nelas algo desse passado.

Imagens 223

Balizando o trabalho por tudo aquilo que nos parecia (in)visível, percebemos, como nos contou Ítalo Calvino nas suas Cidades Invisíveis, que “a cidade não conta seu passado, ela o contém como as linhas da mão, escrito nos ângulos das ruas, nas grades das janelas, nos corrimãos das escadas, nas antenas dos pára-raios, nos mastros das bandeiras, cada segmento riscado por arranhões, serradelas, entalhes e esfoladuras”.

Imersos nesse passado, os alunos leram, descreveram e analisaram as imagens de Azevedo e Gaensly. Encontraram ali indícios dessas (des)continuidades, e começaram a construir um olhar para as linhas das imagens do presente. Trajeto em que nos encontramos com as linhas da cidade perdidas na neve, aos olhos de Marcovaldo, e com as memórias dos velhos e o acento delas nas pedras da cidade, que Ecléa Bosi nos recontou.

Construindo cidades reais e imaginadas pela experiência dos alunos, repensamos o ato de fotografar, recorrendo novamente a Calvino. Nas Aventuras de um fotógrafo, cada aluno aventurou-se em suas memórias e espaços da cidade para voltar com um pequeno lapso de tempo recortado desse lugar, uma fotografia.

Imagens 224

O Álbum afetivo da cidade de São Paulo apresenta, assim, esse caminho composto em dois movimentos que aconteceram de maneira concomitante. Primeiro, é possível perceber o trabalho de curadoria das obras de Militão Azevedo e Guilherme Gaensly – gentilmente cedidas e impressas pelo IMS – realizado pelos alunos, que expressa a descoberta dessas (des)continuidades num outro tempo dessa cidade.

A percepção desse outro tempo permite o segundo movimento desse álbum, as fotografias realizadas por eles, síntese da narrativa de uma experiência do presente. Pílulas de memória de cada um desses jovens fotógrafos.

***

Imagens 228

O lançamento do Álbum afetivo da cidade de São Paulo aconteceu no dia 26 de agosto. Nele alunos, educadores do Colégio Equipe e do Instituto Moreira Salles (IMS) apresentaram o percurso que os levaram à confecção do álbum, explicitando o processo de trabalho dos alunos, socializado por eles, a parceria entre o IMS e o Colégio Equipe, e as imagens que o compõem.

O Álbum ficará em exposição para o público interessado, no saguão de entrada da escola na Rua São Vicente de Paula, 374, Santa Cecília até 15 de setembro, quando segue para as unidades do Instituto Moreira Salles em São Paulo, Poços de Calda e Rio de Janeiro.

A fotografia que apresenta esse texto integra as imagens produzidas pelos alunos no Álbum afetivo da cidade de São Paulo. Vejam as fotos de todos os alunos acessando esse link.

Mauricio Freitas
Professor de História e Leitura de Imagens do Colégio Equipe