Divulgação
Divulgação

Yale chama FGV para rede global de escolas de negócios

Liga reúne 21 instituições de quatro continentes; objetivo é facilitar intercâmbio e formar líderes para um 'mundo plano'

Carlos Lordelo, do Estadão.edu,

28 Abril 2012 | 19h53

A tradicional Escola de Negócios da Universidade Yale levou a sério a ideia de "mundo plano" e criou uma rede global com instituições de ensino de países tão diferentes como Costa Rica, Gana, Israel e Turquia. O objetivo da iniciativa é facilitar o intercâmbio não só de alunos e professores, mas também de materiais didáticos e novas maneiras de pensar a administração. Tudo para formar líderes capazes de enfrentar os desafios de uma economia mundial cada vez mais integrada e complexa.

 

A Rede Global para Administração Avançada foi oficialmente criada nos últimos dias 26 e 27, durante evento nos Estados Unidos. A liga reúne 21 centros de ensino de gestão de quatro continentes (veja lista abaixo). A única representante brasileira é a Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas em São Paulo.

 

A diretora da Eaesp-FGV, Maria Tereza Fleury, considera a proposta "inclusiva" porque coloca lado a lado instituições de países desenvolvidos e outras de economias emergentes. Segundo a professora, a rede baseia-se no tripé conectividade, colaboração e corresponsabilidade.

 

“A agenda da liga ainda está sendo definida, mas teremos ações das mais diversas naturezas: elaboração conjunta de casos, programas de intercâmbio de curta duração, desenvolvimento de projetos feitos pelos alunos de pós-graduação e MBA, entre outras iniciativas”, afirmou Maria Tereza, por e-mail.

 

Uma das ações já anunciadas por Yale é criar um Mestrado em Administração Avançada com 12 a 15 vagas para os melhores alunos de pós das escolas da rede. A universidade americana também está desenvolvendo um catálogo online de casos empresariais que estará à disposição das instituições parceiras para uso em sala de aula.

 

Integrantes da rede global:

 

Escola de Negócios da Universidade da Cidade do Cabo (África do Sul)

Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV (Brasil)

Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do Chile (Chile)

Escola de Negócios da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (China)

Escola Universitária de Administração Fudan (China)

Escola de Negócios Renmin, da Universidade da China (China)

Escola de Negócios da Universidade Nacional de Cingapura (Cingapura)

Escola de Negócios da Universidade Nacional de Seul (Coréia do Sul)

Escola de Negócios Incae (Costa Rica e Nicarágua)

Escola de Negócios IE (Espanha)

Escola de Negócios de Yale (Estados Unidos)

Instituto de Administração Asiático (Filipinas)

Escola de Negócios Insead (França e Cingapura)

Escola de Negócios da Universidade de Gana (Gana)

Faculdade de Economia da Universidade da Indonésia (Indonésia)

Escola de Negócios UCD Michael Smurfit (Irlanda)

Instituto Tecnológico de Israel Technion (Israel)

Escola de Estratégias Internacionais Corporativas Hitotsubashi (Japão)

Escola de Negócios Egade, do Instituto Tecnológico de Monterrey (México)

Escola de Economia e Ciência Política de Londres (Reino Unido)

Escola de Negócios Koç (Turquia)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.