Vítimas do Enem 2009 reveem pesadelo e erros

Falha na atribuição de notas na edição passada do Sisu prejudicou mais de 900 alunos; jovens lamentam que neste ano o problema tenha se repetido

Luciana Alvarez, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2011 | 11h56

Há um ano, a estudante Vitória Matiko de Oliveira foi checar suas notas para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e se deparou  com um zero na redação. Sua presença na prova constava como “anulada”. O resultado acabava com qualquer chance de ela obter uma vaga para Ciências e  Humanidades na Universidade Federal do ABC. Mas, quatro dias depois, Vitória recebeu uma mensagem por celular: o MEC havia errado e sua redação agora tinha  nota 750.

 

Como Vitória, outros 914 candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009 sofreram com a divulgação incorreta da nota da redação. O MEC  alega que houve um problema na leitura do código de barras das provas, resolvido a tempo.

 

“Passei muito nervoso, sabia que era impossível eu ter zerado. Mandei e-mails, tentei ligar, não conseguia resposta. Cheguei a procurar um advogado”, conta  Vitória. “Como eles foram perder meu código de barras?”

 

Com a nota corrigida, a estudante conseguiu fazer a inscrição no último dia do Sisu. Mas acabou sendo aprovada também para a Universidade de São Paulo  (USP), onde hoje cursa Gestão de Políticas Públicas.

 

Para Luiza Giordano Cardassi, o zero na redação no Enem de 2009 resultou em um ano “perdido”. “Não quis pagar mais um ano de cursinho, fiquei  estudando por conta própria”, relata. Agora foi aprovada no vestibular da Universidade Federal do Paraná. “Entrei com advogado, o processo rolou durante  meses, mas no fim a juíza disse que o MEC tinha autonomia.”

 

Neste ano, estudantes que tiveram a redação anulada voltaram a contestar informação. Alguns entraram na Justiça para ter o direito de ver a correção de  suas provas, mas o MEC conseguiu cassar todas as liminares favoráveis aos alunos. A pasta alega que cerca de 15 mil candidatos erraram no preenchimento do  gabarito e, por isso, ficaram sem nota.

Mais conteúdo sobre:
Enem Enem 2010 Sisu

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.