Arthur Fujii/Divulgação
Arthur Fujii/Divulgação

'Vírus é software. Você fabrica e cura um câncer'

O professor da Singularity Andrew Hessel fala dos avanços em biotecnologia

Sergio Pompeu, do Estadão.edu,

27 Março 2012 | 01h20

O senhor é otimista quanto ao potencial da biologia sintética para curar doenças como o câncer. Quando isso ocorrerá?

 

Em um ano ou dois anos veremos aplicações práticas, com pacientes ou cultura de células. Porque já podemos decifrar facilmente o código genético de qualquer coisa. Se retirarmos amostras de células cancerígenas e decifrarmos o código, podemos fabricar vírus para matá-las. Vírus é software. Você faz no computador, sintetiza e infecta a célula. Vamos ter app stores de vírus, feitos especificamente para cada pessoa. Porque as células cancerígenas de alguém são parte do seu patrimônio genético.

 

Qual é o potencial da biologia sintética em outras áreas?

 

Fabricar organismos vivos para atender às nossas necessidades garante a sustentabilidade humana. Podemos fazer coisas crescerem, melhorar colheitas, curar doenças. Enzimas fazem muitas das reações que usamos na engenharia química, por exemplo, de modo muito mais gracioso. Este é um século de transição para processos sustentáveis. E essa guinada vai afetar cada uma das pessoas no planeta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.