Vestibular vai mudar até ser extinto, afirma ministro

O ministro da Educação, Tarso Genro, quer promover modificações progressivas no vestibular até que este sistema de seleção para ingresso no ensino superior seja extinto. Em entrevista coletiva dada nesta sexta-feira em Porto Alegre, ele disse que a questão do vestibular está no âmbito da reforma universitária e que as mudanças devem ocorrer ao longo de vários anos, até que haja condições de abandonar o sistema.Segundo o ministro, as mudanças no vestibular vão ser combinadas com medidas de universalidade do ensino, como a abertura de mais vagas gratuitas, cursos noturnos e políticas de discriminação positiva que, segundo ele, não podem gerar um preconceito de classes e nem a visão de que o aluno de classe média ou alta é um estranho na universidade pública. ?Se ela (a universidade) é pública, ela é para toda a sociedade e cabe ao Estado desenvolver políticas para que essa universalidade abranja todas as camadas da população?, ressaltou.Tarso confirmou que o Provão para avaliação dos cursos superiores vai passar por mudanças. Ele reafirmou que o método, inicialmente centrado nos alunos, já evoluiu ao incluir itens como qualidade da estrutura, preparo acadêmico e relações com a sociedade, mas entende que ainda deixa um espaço de arbítrio muito grande para a Comissão Nacional de Avaliação. ?Nós vamos ainda aperfeiçoar os critérios, torná-los mais objetivos, para reduzir a margem de arbítrio em relação à aferição?, prometeu.A entrevista do ministro ocorreu após encontros que ele teve com o governador gaúcho, Germano Rigotto (PMDB), e com a comunidade acadêmica da UFRGS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.