Vestibular da Unicamp terá redação apenas na segunda fase

Na primeira etapa, número de questões de múltipla escolha passará de 48 para 90. Além disso, 4 delas serão interdisciplinares

Letícia Guimarães dos Santos, Especial para O Estado

11 Agosto 2014 | 15h39

CAMPINAS - A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta segunda-feira, 11, detalhes sobre as mudanças no vestibular 2015. A principal novidade é que a redação, que passa a ser feita somente na segunda fase, valerá 20% da nota final. As demais alterações no esquema de provas são o aumento de questões de múltipla escolha e a aplicação em mais quatro cidades. As inscrições foram abertas nesta segunda. 

De acordo com o coordenador executivo da Comvest, Edmundo Capela de Oliveira, a mudança da redação é o maior destaque no novo formato de prova. Ele acredita que o estudante será beneficiado. “Ficando para a segunda fase, o concorrente tem mais tempo para se preparar. Se antes isso era considerado um bicho de sete cabeças, agora não é mais”, disse. Com a mudança, a redação também terá um peso maior: corresponderá a 20% da nota final - anteriormente, variava entre 9,5% e 13,5%.

No total, a pontuação da primeira fase representará 30% do total, já contada a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Essa etapa inicial do vestibular, que apresentava 48 questões, terá agora 90 perguntas de múltipla escola - quatro delas, interdisciplinares. 

Oliveira exemplificou que disciplinas como Matemática e Inglês podem ser unidas para formar uma única questão. “A banca formulará oito perguntas, quatro que integrarão a prova e outras quatro de reserva. Adotamos esse número porque a interdisciplinaridade no vestibular ainda é novidade e os concorrentes ainda terão de se acostumar”, explicou. 

Segundo o reitor da Unicamp, José Tadeu Jorge, a interdisciplinaridade surge como uma tendência mundial do mercado de trabalho, que pede profissionais que tenham conhecimento mais abrangente do que a área de atuação. “Os empregadores hoje exigem perfis ecléticos. Então, queremos selecionar alunos que tenham essa característica e prepará-los para o mercado”, afirma. 

Mais cidades. Outra novidade é que agora a prova poderá ser feita em mais quatro cidades do Estado de São Paulo, e não apenas em Campinas, sede da universidade. Os municípios de Presidente Prudente, Guarulhos, Mogi das Cruzes e São João da Boa Vista também aplicação o exame, que será realizado no dia 23 de novembro. A segunda fase ficou para os dias 11, 12 e 13 de janeiro. 

De acordo com o coordenador da Comvest, a medida foi tomada porque muitos concorrentes prestam a primeira fase. Com o excesso de alunos, a opção foi dividir os locais de prova. No vestibular do ano passado, a Unicamp recebeu 73.818 inscrições. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.