Vestibular da Unesp registra 8,9% de abstenção na 1ª fase

Candidatos fizeram 90 questões objetivas na disputa por 465 vagas; professores comentam prova

Carlos Lordelo, do Estadão.edu, e Paulo Saldaña, de O Estado de S. Paulo,

04 Junho 2012 | 01h41

Quase 15 mil estudantes fizeram neste domingo, 3, a primeira fase do vestibular de inverno da Unesp, em uma prova considerada boa e com dificuldade média por professores ouvidos pelo Estado. O índice de abstenção foi de 8,9%.

 

O exame era composto por 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada área: Ciências Humanas (história, geografia e filosofia), Ciências da Natureza e Matemática (física, química, biologia e matemática) e Linguagens e Códigos (língua portuguesa, literatura, arte, educação física e língua inglesa). Os aprovados nessa etapa ainda terão de passar por mais dois dias de provas, na segunda fase. Estão em disputa 465 vagas nos cursos de Agronomia, Geografia, Zootecnia e em seis áreas de Engenharia.

 

Com textos cujos temas variaram de Código Florestal, cracolândia a Amy Winehouse, a prova deste domingo favoreceu o vestibulando que tem bom nível de leitura, segundo o diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, Célio Tasinafo. “Foi uma prova muito bem feita, que valorizou o essencial. Quando não exigiu conhecimentos de atualidades ou interpretação de textos, havia gráficos. Tudo bem contextualizado, cobrando competências do aluno.”

 

Os estudantes também se depararam com textos sobre o vazamento de óleo na Bacia de Campos, no Rio, e tecnologia nos esportes, além de conteúdos mais específicos como, por exemplo, usos de vírgulas, pronomes, matrizes e tabela periódica. Duas questões ainda exigiram conhecimento em ética e sociologia.

 

Para Tasinafo, o tempo foi um desafio. “Os textos de apoio foram bem utilizados em mais de uma questão, mas considerando que só havia quatro horas e meia para responder, foi um vestibular de médio para difícil.”

 

Os professores do cursinho Objetivo têm a mesma opinião. Segundo eles, a Unesp fez uma prova “adequada” e que exigiu “formação”. “A banca já está criando um padrão: a maioria das questões tinha textos e não dava nada de graça. Para chegar à resposta o candidato tinha de raciocinar”, resume a coordenadora Vera Lúcia Antunes.

 

Segundo ela, as questões de português foram as mais fáceis da prova. “A banca quer alguém que saiba ler, por isso privilegiou interpretação de textos em detrimento de gramática e literatura.”

 

Para o coordenador do Etapa Marcelo Dias Carvalho, a Unesp "manteve a tradição" de montar uma prova com "nível de dificuldade entre médio e baixo" e questões com enunciados "claros e precisos".

 

No entanto, ele diz que o teste 86, de matemática, tem duas respostas corretas. Segundo o professor, os cálculos dão os resultados das alternativas 'b' e 'd'. No gabarito oficial a resposta é 'b'.

 

O cursinho deve entrar em contato com os organizadores do exame nesta segunda-feira, para reclamar do gabarito. "Seria prudente que a banca aceitasse ambas as respostas devido à imprecisão do enunciado", diz Carvalho.

 

Outra questão que pode ter gerado dúvidas entre os alunos é a 88, também de matemática. Para chegar à resposta, segundo o Etapa, era necessário "aproximar o resultado das contas à alternativa mais próxima".

 

O gabarito oficial da primeira fase e o caderno de questões do exame estão disponíveis no site http://vestibular.unesp.br. No dia 15 de junho será divulgada a relação dos classificados para a segunda etapa do processo seletivo, cujas provas ocorrem em 23 e 24 de junho. O resultado final do exame sairá em 12 de julho.

 

Dos 16.040 candidatos inscritos, 1.421 não compareceram neste domingo. A prova foi realizada em dez cidades paulistas e a maior taxa de abstenção foi registrada na capital, onde 12,6% dos inscritos faltaram.

Mais conteúdo sobre:
Unesp Vestibular Cursinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.