Vestibular da Unesp começa no domingo

Chegou a vez do vestibular da Unesp. Considerado o mais fácil pelos estudantes e o mais bem elaborado pelos professores, ele tem apenas uma fase, que começa no próximo domingo. São três dias de prova, com uma redação, dez questões discursivas de português, 84 testes de outras disciplinas e mais uma prova com 25 perguntas específicas da área de cada candidato. Estudar para tudo isso em menos de uma semana é impossível, mas ainda dá tempo de rever tópicos importantes que costumam ser cobrados na Unesp. "A prova de português - formada pela redação e por dez questões de gramática e literatura - é comum para todos os candidatos e tem um peso importante", afirma o coordenador do Anglo, Ernesto Birner. "Por isso, é preciso se dedicar a essa matéria, além daquelas que caem na prova específica de cada área." O diretor-pedagógico do cursinho Stockler, Agostinho Marques Filho, destaca alguns tópicos que devem ser revisados na gramática: figuras de linguagem, crase, verbos, concordância e regências nominal e verbal. Na literatura, ele aconselha uma revisão em trovadorismo, arcadismo, realismo e modernismo. "O importante é se organizar antes de começar os estudos para aproveitar melhor o tempo." É preciso dar atenção especial também para a redação, lembra o diretor-acadêmico da Fundação Vunesp - responsável pelo vestibular -, Fernando Prado. "Ela representa 50% da nota da prova de português, que ocorre no terceiro dia, e acaba sendo importante no final." O estilo de texto pedido pela Unesp é a dissertação e a prova apresenta textos de apoio sobre o tema proposto. "O candidato não é obrigado a consultar esses textos, mas nosso conselho é para que perca alguns minutos e leia-os com atenção porque sempre acabam ajudando", diz Prado. "Eles podem dar base para a argumentação, contrária ou favorável à opinião demonstrada, e servir como ponto de partida para quem não sabe muito sobre o assunto apresentado." Outra dica de Prado é fazer um rascunho da redação. "Ele organiza as idéias e ajuda o aluno a deixar o texto mais claro", garante. "Como há quatro horas para resolver a prova, dá tempo suficiente de fazer o rascunho." Notas maiores Nesta semana que antecede a prova, ele acredita que o melhor é rever aquilo que já se sabe. "Não dá tempo de tirar todo o atraso agora." Essa também é a opinião do diretor do Etapa, Carlos Eduardo Bindi. "É melhor refazer os exercícios das matérias da sua área e aproveitar o tempo para revisar português, principalmente os pontos fracos, e treinar a redação." Para ele, a Unesp apresenta uma prova "direta, clara, que não intimida". "O candidato fica mais à vontade e as questões, por serem bem feitas, não trazem complicações", diz. "Todo mundo sai achando que foi bem, o problema é que é preciso ter notas maiores do que nos outros vestibulares para ter a vaga." Birner, do Anglo, lembra que não há pegadinha na Unesp e que as perguntas costumam ser claras e objetivas. "A minha sugestão é que os estudantes dêem uma olhada nos exames anteriores para se familiarizarem." É isso o que fará a candidata a uma vaga em desenho industrial, Maíra Harue Takenaka, de 18 anos. "Vou refazer as provas e a revisão do cursinho", conta. "Essa será uma semana bem intensa." A Unesp será o primeiro vestibular de Maíra. Ela não prestou nem a Fuvest nem a Unicamp. "Será a minha estréia e vou me preparar ao máximo." Como faz cursinho à noite, ela diz que chega em casa com a matéria fresca e aproveita para continuar estudando de madrugada. "Essa é a hora que estou mais ligada. Então, aproveito para fazer os exercícios e ler mais um pouco." Depois, ao acordar às 10h30, descansa até a hora do almoço e, à tarde, volta para os livros. "Vou intensificar os estudos até sexta-feira e tentar treinar a redação", diz. "Acho que o exame da Unesp não é um bicho-papão. Pelo menos é o que espero." Mas Marques Filho, do Stockler, alerta: "Tem muita gente que passa na Fuvest e não entra na Unesp". Ele acredita que, por ser a prova mais completa e precisar de mais atenção do estudante, acaba até sendo mais difícil do que as da USP e da Unicamp. "Além disso, os candidatos já estão cansados de tanto vestibular e muitos acabam relaxando. Não se pode deixar levar pela falsa impressão de que esse exame é mais simples."

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2002 | 14h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.