Vestibulandos da Unicamp preocuparam-se mais com redação

Os primeiros estudantes que terminaram o vestibular da Unicamp na Pontifícia Universidade Católica (PUC), em Perdizes (zona Oeste de São Paulo) afirmaram que a prova foi bem elaborada, com questões relativamente fáceis, em oposição à opinião dos alunos que prestaram o mesmo vestibular na Uniban, também em São Paulo. Estes últimos consideraram a prova muito difícil. A grande preocupação foi mesmo com a dissertação, que vale 50% da nota. Segundo eles, a redação foi o item que exigiu maior cuidado e atenção. Os alunos tiveram de escolher entre três temas e escrever sobre o assunto. O tema preferido dos entrevistados foi "o homem perfeito" (tema B), a respeito da evolução genética.Os primeiros quatro candidatos a deixar as salas na PUC, têm um objetivo em comum: todos concorrem a uma vaga no curso de Ciência da Computação. Paulo Mizuno, de 19 anos, foi o primeiro a sair do local da prova, às 15h45 (1h45 depois do início). "Achei os temas da dissertação difíceis", afirmou. Ele admitiu que não tinha estudado muito e acabou entregando parte do exame em branco. Marcelo Piola, de 18 anos, o segundo a deixar o local, também não conseguiu terminar a prova. Mas por outro motivo: estava nervoso e passou mal. "Foi uma pena, porque eu estava bem preparado e achei a prova fácil".Tiago Martins Rovida, de 18 anos, também escolheu dissertar sobre genética. Ele também achou que a prova estava relativamente fácil, mas se mostrou preocupado com a redação. Sentado nas escadarias da PUC, Tiago Marinheiro, também de 18 anos, aparentava tranqüilidade. Foi o quarto a deixar a sala. Até meados do ano, ele queria prestar para Medicina. Depois mudou de idéia e prestou para Ciência da Computação. "Achei que a prova da Unicamp estava clara, não foi difícil; mas a redação deu trabalho, eram temas que exigiam muita leitura", disse.

Agencia Estado,

24 de novembro de 2002 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.