Vestibulando que larga exercícios deve dobrar cuidados

Comer mais e deixar de fazer exercícios. Uma combinação reconhecidamente prejudicial para qualquer pessoa, ainda mais para um vestibulando. É o que diz a nutricionista Claudia Juzwiak ao analisar as refeições do estudante Flavio Federzoni Silva, de 19 anos. Para se empenhar apenas em conseguir sua vaga no curso de Relações Internacionais, ele largou a academia e a natação. Resultado: já engordou 2 quilos. ?Tente encaixar um horário para as atividades físicas, que podem até ajudar a controlar o stress desse período?, sugere a nutricionista. Além da falta de esporte, Flavio costuma dormir depois do almoço. Apesar disso, Claudia considera razoáveis as refeições do estudante, que acorda por volta das 5h30 e toma um café com leite desnatado e come pão de fôrma com queijo branco. ?No intervalo das aulas, às 9h15, compro uma barra de cereal de vez em quando?, conta Flavio. A nutricionista aconselha esse lanche diariamente e com repetição também na parte da tarde, quando o vestibulando prefere pão de fôrma com margarina. Flavio é beneficiado por almoçar em casa e costuma comer arroz, feijão, bife e salada ? alface, rúcula ou agrião. ?O almoço está O.k., mas é preciso melhorar a variedade de hortaliças, incluindo também as vermelhas e amarelas?, diz a nutricionista. Além disso, ela faz um alerta para a falta de frutas na dieta do vestibulando. Até a hora do jantar, Falvio gosta de beliscar bombons ou iogurtes. A dica de Claudia é diminuir um pouco o volume das refeições de maneira geral já que seu índice de massa corporal (IMC) está acima do normal. A taxa é calculada a partir do peso e da altura da pessoa ? em Flavio, o resultado está acima das necessidades, supostamente por ele ter deixado de fazer exercícios físicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.