Vestibulandas apostam na Síria como tema provável na prova de atualidades

SÃO PAULO - Assad está bem cotado, ao menos na Fuvest. Priscilla Maceno, de 18 anos, está fazendo Fuvest pela primeira vez, para o curso de Jornalismo. Ela está no Colégio São Sabas e também faz o cursinho do Objetivo. “Minha preparação foi extensa para o vestibular”, diz. A estudante, que foi “mais ou menos” nos simulados, diz ter estudado o Especial do Estadão.edu de atualidades para Fuvest. “Não pude ‘curtir’ porque não tenho Facebook”, conta. Além de Síria e do contexto histórico que norteia a primavera árabe, ela aposta também na morte de Bin Laden como tema de uma das questões.

Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu,

27 Novembro 2011 | 13h17

Sua amiga Daniela Torres, de 20 anos, está prestando a Fuvest pela segunda vez, para bacharelado e licenciatura em Química. Ano passado Daniela prestou para Engenharia Química, mas não chegou à segunda fase. Ela estuda no cursinho da Poli e também diz ter ido “mais ou menos” nos simulados. Além da Síria, aposta no IDH do Brasil e na eleição de Dilma como temas das questões.

* Corrigido às 23h48.

Mais conteúdo sobre:
Fuvest

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.