Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Verdadeira reforma do ensino é o investimento no professor

Casos como os de Pernambuco, Espírito Santo e Alagoas mostram que o mais baixo nível socioeconômico não é sentença de mau resultado

Priscila Cruz, O Estado de S.Paulo

31 Agosto 2018 | 03h00

Os dados divulgados pelo Ministério da Educação consolidam a tendência observada nos anos anteriores: avanço com maior vigor nas séries iniciais do ensino fundamental (alunos de 6 a 10 anos) e melhora, ainda tímida, nos anos finais (11 a 14 anos). No caso do ensino médio (para os jovens de 15 a 17 anos), a tendência é de estagnação, com indicação de queda. 

A chamada reforma no ensino médio, com a organização da etapa por itinerários diversos, pode ajudar. Também deve contribuir a Base Nacional Comum Curricular, documento para definir o que o aluno deve aprender em cada série, sem que haja redução de disciplinas, mas com opções de aprofundamento de aprendizagem. 

Mas a verdadeira reforma é o investimento no professor: uma carreira que estimule o ingresso e a permanência, boa formação inicial nas universidades e formação continuada em sala de aula, além de melhores condições para o trabalho docente. O teto de qualidade de qualquer sistema educacional é a qualidade de seus professores. 

De forma geral, os Estados que mais avançam têm políticas semelhantes. Entre elas se destacam a aposta na educação integral, profissionalização da gestão escolar, maior colaboração entre Estados e municípios, reforço para os jovens não ficarem pra trás e mais participação da comunidade escolar - professores, alunos e famílias - nas políticas públicas. 

Casos como os de Pernambuco, Espírito Santo e Alagoas - este último não está entre os melhores, mas mostrou importante reação no fundamental e no médio - mostram que o mais baixo nível socioeconômico não é sentença de mau resultado. 

No Ceará, já é possível constatar transição de resultados. O bom desempenho nos anos iniciais em edições anteriores do Saeb já se traduziu, após anos de sucesso de programas com ênfase na alfabetização, em avanço nas etapas seguintes. 

* É PRESIDENTE DO MOVIMENTO TODOS PELA EDUCAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.