USP volta a ficar entre as top 200 no ranking de universidades mais importante do mundo

USP, Unicamp e PUC-Chile aparecem como melhores da América do Sul; Harvard cai para a 2ª colocação

Estadão.edu

05 Outubro 2011 | 20h33

* Texto atualizado às 16h30 de quinta-feira, 6, para correção de informações. A USP já havia ficado entre as top 200 do mundo em outros três rankings da THE.

A USP subiu 54 posições e ficou no 178.º lugar no ranking de universidades da Times Higher Education (THE), o mais importante do mundo, publicado às 20h (horário de Brasília) desta quarta-feira. É a quarta vez desde que o indicador foi criado, há 8 anos, que uma universidade brasileira aparece entre as top 200 instituições de ensino superior. A USP apareceu como 196.ª em 2005, e também esteve entre as 200 melhores nos anos de 2007 e 2008. O ranking completo de 2010-2011 pode ser acessado no site timeshighereducation.co.uk.

A USP figura como a melhor universidade sul-americana, seguida da Unicamp, entre a 276.ª e 300.ª posição, e pela PUC do Chile, listada entre as colocações 351 e 400. No ano passado, a Unicamp ficou na 248.ª posição.

Também pela primeira vez, a Universidade de Harvard, que sempre liderou o ranking da THE, perdeu o topo da lista. Para os avaliadores, o Instituto Tecnológico da Califórnia tornou-se a melhor instituição de ensino do mundo no último ano. Caltech, como é conhecida a universidade, sedia o Laboratório de Propulsão de Jatos da Agência Espacial Americana (Nasa) e tem cerca de 300 professores para seus 2 mil estudantes. Trinta de seus ex-alunos já ganharam prêmios Nobel.

O editor do ranking da THE, Phil Baty, diz que a diferença entre as universidades top é "minúscula". Mas, segundo ele, Caltech bate Harvard com índices um pouco melhores em volume de pesquisa, renda e reputação, além da influência de suas pesquisas e as verbas que atrai da indústria. "Com diferenças tão suaves, um simples fator tem papel decisivo na hora de determinar a ordem do ranking: dinheiro."

"Harvard informou um aumento do financiamento similar à proporção de outras instituições, enquanto Caltech reportou um aumento acentuado (16%) em financiamento de pesquisa e crescimento no bolo da renda", conta Baty. Os Estados Unidos têm 75 universidades entre as 200 melhores.

O ranking da THE é construído a partir de pareceres de 17,5 mil acadêmicos de 137 países. Eles avaliam sete áreas, todas com a mesma importância: Artes e Humanidades, Ciências Sociais, Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Medicina.

A listagem combina 13 indicadores, agrupados em cinco categorias: ensino, pesquisa, citações por outros autores, interação entre universidade e indústria e internacionalização. Neste ano, a THE incluiu um novo critério que avalia o número de pesquisas que cada instituição publica que tenha pelo menos um coautor de universidades de outros países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.