USP volta a ficar entre as top 200 no ranking de universidades mais importante do mundo

USP, Unicamp e PUC-Chile aparecem como melhores da América do Sul; Harvard cai para a 2ª colocação

Estadão.edu

05 de outubro de 2011 | 20h33

* Texto atualizado às 16h30 de quinta-feira, 6, para correção de informações. A USP já havia ficado entre as top 200 do mundo em outros três rankings da THE.

A USP subiu 54 posições e ficou no 178.º lugar no ranking de universidades da Times Higher Education (THE), o mais importante do mundo, publicado às 20h (horário de Brasília) desta quarta-feira. É a quarta vez desde que o indicador foi criado, há 8 anos, que uma universidade brasileira aparece entre as top 200 instituições de ensino superior. A USP apareceu como 196.ª em 2005, e também esteve entre as 200 melhores nos anos de 2007 e 2008. O ranking completo de 2010-2011 pode ser acessado no site timeshighereducation.co.uk.

A USP figura como a melhor universidade sul-americana, seguida da Unicamp, entre a 276.ª e 300.ª posição, e pela PUC do Chile, listada entre as colocações 351 e 400. No ano passado, a Unicamp ficou na 248.ª posição.

Também pela primeira vez, a Universidade de Harvard, que sempre liderou o ranking da THE, perdeu o topo da lista. Para os avaliadores, o Instituto Tecnológico da Califórnia tornou-se a melhor instituição de ensino do mundo no último ano. Caltech, como é conhecida a universidade, sedia o Laboratório de Propulsão de Jatos da Agência Espacial Americana (Nasa) e tem cerca de 300 professores para seus 2 mil estudantes. Trinta de seus ex-alunos já ganharam prêmios Nobel.

O editor do ranking da THE, Phil Baty, diz que a diferença entre as universidades top é "minúscula". Mas, segundo ele, Caltech bate Harvard com índices um pouco melhores em volume de pesquisa, renda e reputação, além da influência de suas pesquisas e as verbas que atrai da indústria. "Com diferenças tão suaves, um simples fator tem papel decisivo na hora de determinar a ordem do ranking: dinheiro."

"Harvard informou um aumento do financiamento similar à proporção de outras instituições, enquanto Caltech reportou um aumento acentuado (16%) em financiamento de pesquisa e crescimento no bolo da renda", conta Baty. Os Estados Unidos têm 75 universidades entre as 200 melhores.

O ranking da THE é construído a partir de pareceres de 17,5 mil acadêmicos de 137 países. Eles avaliam sete áreas, todas com a mesma importância: Artes e Humanidades, Ciências Sociais, Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Medicina.

A listagem combina 13 indicadores, agrupados em cinco categorias: ensino, pesquisa, citações por outros autores, interação entre universidade e indústria e internacionalização. Neste ano, a THE incluiu um novo critério que avalia o número de pesquisas que cada instituição publica que tenha pelo menos um coautor de universidades de outros países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.