Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

USP vai pedir reintegração de posse do prédio da reitoria

Após votar pela desocupação do prédio da FFLHC, estudantes invadiram a reitoria na madrugada

Carlos Lordelo, Estadão.edu

02 Novembro 2011 | 22h48

SÃO PAULO - A reitoria da USP vai pedir na Justiça, nesta quinta-feira, a reintegração de posse do prédio da administração central da universidade. O edifício, no câmpus da zona oeste, foi invadido por um grupo de estudantes na madrugada desta quarta. Até as 22h47, os ocupantes não haviam se manifestado sobre a decisão da USP por meio de seus canais de comunicação: Twitter e blog.

Segundo nota da Assessoria de Imprensa da USP, a decisão foi tomada esta noite, em reunião extraordinária da comissão permanente de negociação que terminou às 21h45 (horário de Brasília). Fazem parte da comissão o chefe de gabinete da reitoria, o procurador geral da USP e os superintendentes de relações institucionais e assistência social.

"Importante destacar que, por dever legal, o gestor público tem obrigação de pedir a reintegração de posse do imóvel invadido", afirma a nota da assessoria. "O deferimento da reintegração deverá ser analisado pelo juiz."

No entanto, a reitoria espera que o impasse seja resolvido antes da atuação da Polícia Militar, que será acionada para cumprir a ordem judicial.

Invasão. O prédio foi invadido e ocupado por alunos derrotados na assembleia de terça à noite que decidiu pela desocupação da administração da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), tomado na madrugada da última sexta-feira em protesto contra a abordagem da PM que flagrou três estudantes de Geografia com maconha.

Cerca de cem pessoas ocuparam a reitoria. O grupo pede a saída da PM da Cidade Universitária e a revogação de processos administrativos contra alunos, professores e funcionários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.