USP, Unicamp e Unesp não terão férias em junho

Os estudantes das três universidades estaduais paulistas - USP, Unicamp e Unesp - ficarão sem férias de julho por causa da greve dos professores e funcionários, que completou 35 dias nesta quarta-feira, ainda sem previsão de término. As reitorias não têm fechado o calendário de reposição, mas já há estudos sobre as datas mais prováveis. Não são descartadas aulas em fins de semana.Segundo a Unesp, o ano letivo atual poderá ser prolongado até meados de janeiro. Na instituição, há a obrigatoriedade de se cumprir, no mínimo, 200 dias no ano letivo. Até agora, foram cerca de 60.A Unicamp informou, em nota, que "espera que as unidades paradas possam repor as aulas em julho". "Caso isso não aconteça a reposição será feita ao longo do segundo semestre", diz o texto. A universidade informou que foram perdidas 18% das aulas.A USP ainda não definiu as reposições, mas deverá adotar calendário diferenciado nas unidades paradas, segundo funcionários em greve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.