NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

USP sobe 23 posições em ranking das melhores universidades

Instituição fica em 120º lugar na lista das 900 principais escolas de ensino superior do mundo e é a 2ª melhor do continente, atrás da Universidade de Buenos Aires

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2016 | 18h50

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) subiu 23 posições no ranking QS World University da publicação britânica Quacquarelli Symonds (QS), uma das principais listas de classificação de universidades no mundo. A instituição saiu do 143º lugar em 2015 para o 120º lugar em 2016.

A USP havia caído por dois anos consecutivos: de 127º em 2013 para 132º em 2014, depois para 143º em 2015. De acordo com o reitor da USP, Marco Antonio Zago, a posição de 2016 é a melhor já alcançada pela universidade desde que o ranking passou a ser divulgado em 2010.

"Esse resultado mostra que o reconhecimento e o prestígio da USP fora do País estão aumentando gradativamente. Apesar de oscilações anuais, a posição da USP é consolidada como uma das melhores universidades não só da América Latina, mas também da Ibero-América - fato que já era conhecido, mas que se popularizou com o surgimento dos rankings”, disse Zago em nota à imprensa.

Com o resultado, a USP continua sendo a segunda instituição da América Latina a aparecer na lista: a Universidade de Buenos Aires (UBA), na Argentina, passou do 124º lugar em 2015 para o 85º este ano.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), segunda universidade brasileira com melhor colocação, subiu quatro posições no ranking, do 195º para o 191º lugar. Desde 2013, a Unicamp avançou 24 colocações.

A Unicamp e USP são as únicas brasileiras entre os "top 200". A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) está em 321º lugar, subindo duas posições em relação a 2015.

Em 2016, o QS World University avaliou mais de 4 mil universidades do mundo e classificou as 900 melhores instituições. A avaliação leva em conta, entre outros quesitos, reputação acadêmica, citações de artigos científicos, reputação entre empregadores, proporção entre professores e alunos e número de estudantes e professores estrangeiros.

Pelo quinto ano consecutivo, o ranking do QS é liderado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Todas as instituições no "top 10" do ranking são as mesmas de 2015, com mudanças apenas na ordem. Entre as 10 melhores, há cinco universidades americanas, quatro britânicas e uma suíça.

Além do MIT, completam a lista das 10 melhores a Universidade de Stanford (EUA), Universidade de Harvard (EUA), Universidade de Cambridge (Reino Unido), Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), nos EUA, Universidade de Oxford (Reino Unido), University College de Londres (Reino Unido), Instituto Federal Suíço de Tecnologia (ETH), na Suíça, Imperial College de Londres (Reino Unido) e Universidade de Chicago (EUA).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.