Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

USP pede mais prazo à Justiça contra interdição do câmpus Leste

A Universidade de São Paulo (USP) pediu à Justiça mais dez dias de prazo para providenciar a transferência das atividades acadêmicas do câmpus Leste e comprovar o resultado das medidas adotadas para resolver os problemas ambientais. A USP Leste foi interditada na quinta-feira, 9, em cumprimento à decisão judicial de novembro que apontou riscos à saúde por causa da contaminação do terreno do câmpus.

Paulo Saldaña e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

10 Janeiro 2014 | 14h11

O pedido de reconsideração foi enviado à juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo Laís Helena Bresser Lang Amaral, responsável pela ordem de interdição, na quarta-feira, 8. De acordo com a assessoria de imprensa da universidade, a USP ainda não entrou com recurso em relação à sentença de primeira instância e o pedido de reconsideração foi o único documento protocolado na Justiça.

No documento a USP alega que, nas últimas semanas, iniciou a desmontagem do antigo prédio do restaurante do câmpus, que apresentava maior concentração de metano, e "a colocação de grama nas áreas em que foi depositada a terra desconhecida, tendo por fim evitar a dispersão de poeiras e, portanto, o risco de inalação de partículas, ambas com previsão de início e término na semana subsequente".

Segundo a instituição, também serão colocados tapumes de madeira para evitar o acesso às áreas contaminadas e adquiridos equipamentos para a extração de gases no terreno. Em relação à transferência das atividades acadêmicas, a USP afirma que existem dificuldades para realocação em outro lugar, já que a universidade não possui outros imóveis disponíveis. Nessa quinta-feira, a direção da USP Leste anunciou que a reposição de aulas do segundo semestre de 2013, atrasadas por causa de uma greve na unidade, seria feita no Instituto de Psicologia, no Butantã. As atividades de pesquisa e as aulas do primeiro semestre de 2014 ainda têm local incerto.

No documento, a procuradoria jurídica da USP solicita aumento do prazo em dez dias para que a Companhia de Engenharia Ambiental do Estado (Cetesb) se manifeste sobre as medidas adotadas e os relatórios de contaminação do terreno antes da interdição total do câmpus Leste. Em novembro, a Justiça havia determinado 30 dias para que a USP Leste transferisse suas atividades acadêmicas. O prazo começou a contar em 9 de dezembro, data em que a instituição foi notificada, e venceu na  quinta, 9.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.