Werther Santana / Estadão
Werther Santana / Estadão

USP estuda aumentar nº de questões de matemática na Fuvest

Vestibular da instituição só tem prova diferenciada para português; medida será discutida em reunião do Conselho de Graduação

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2016 | 23h12

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) estuda aumentar o número de questões de matemática na prova da Fuvest, o vestibular tradicional da instituição. Segundo o pró-reitor de Graduação, Antônio Carlos Hernandes, a proposta vai ser levada para a próxima reunião do Conselho de Graduação (CoG), que será realizada no dia 16 de junho. Na ocasião, as unidades de ensino também vão apresentar as propostas de vagas disponíveis para o ingresso via Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Atualmente, entre as matérias tradicionais, apenas Português têm prova diferenciada na primeira fase, com 16 questões, incluindo Literatura. As demais apresentam dez questões, além de cinco de Inglês e nove interdisciplinares. "A ideia é criar uma diferenciação em Matemática. Hoje, ela tem o mesmo peso das demais", disse o pró-reitor de Graduação.

Questionado se a medida significaria maior número de questões da matéria na Fuvest, Hernandes respondeu que essa é "uma possibilidade". "Na minha opinião, seria muito importante a universidade fazer isso", disse. Segundo afirma, a proposta vai ser levada à votação do CoG, em junho. 

Como justificativa, Hernandes diz que é preciso haver "uma sinalização mais forte para o ensino médio da importância da Língua Portuguesa e das provas de Matemática".

A análise foi feita a partir do cruzamento de desempenho de 205 alunos que passaram tanto na Fuvest como no Sisu, o sistema digital do Ministério da Educação (MEC), que usa a nota do Enem para selecionar os estudantes. "Quando você olha que o aluno não foi bem em duas metodologias, é uma sinal que há um problema", disse Hernandes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.