USP e Unicamp fazem parceria com Coursera

Aulas em uma das principais plataformas de cursos online do mundo abordarão temas procurados como finanças e empreendedorismo

O Estado de S. Paulo

17 Setembro 2014 | 21h05

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) anunciaram nesta quarta-feira, 17, uma parceria com o site Coursera, uma das principais plataformas de cursos online do mundo. O objetivo do acordo, anunciado em coletiva de imprensa em São Paulo nesta quarta-feira, 17, é que as universidades criem os primeiros cursos em língua portuguesa para o site. 

O material das duas universidades deve ficar disponível a partir do próximo ano.  As aulas serão voltadas para os alunos brasileiros e abordarão temas de grande demanda, como empreendedorismo e finanças, por exemplo.  

O site divulgou nesta quarta a sua versão em Português. Na plataforma, já há 28 cursos legendados em português. A tradução foi promovida pela Fundação Lemann desde abril do ano passado, com a colaboração de voluntários. A proposta é intensificar ainda mais os esforços para legendar aulas das principais universidades do mundo, com o apoio da  Comunidade Global de Tradutores do Coursera. Agora, a fundação também criará cursos de desenvolvimento profissional voltados para professores da educação primária e secundária. 

Mesmo com a maioria dos cursos em língua inglesa, os brasileiros representam a quinta maior base de usuários do site, depois de Estados Unidos, Índia, China e Reino Unido. No total, há 760 cursos no site, de 114 universidades do mundo, como Yale, Stanford e Columbia. 

"Desde o lançamento do Coursera há dois anos, nós estamos impressionados e sensibilizados pelo enorme número de alunos no Brasil que já enriqueceram seus currículos frequentando nossos cursos," disse, em nota, Daphne Koller, cofundadora e presidente do Coursera. "Juntamente com a USP, a Unicamp e a Fundação Lemann, esperamos oferecer uma ampla gama de cursos das melhores universidades do mundo para dar oportunidade de desenvolvimento pessoal, acadêmico e profissional aos brasileiros e estudantes de língua portuguesa de todos os lugares."

Mais conteúdo sobre:
Educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.