Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

USP e Unicamp agora estão no Coursera

Plataforma de cursos online também inclui a Fundação Lemann com aulas em português. Temas vão de finanças a educação

Tatiana Cavalcanti, Especial para O Estado

30 Junho 2015 | 03h00

Renomadas instituições brasileiras já organizam cursos gratuitos a distância, em português, por meio da plataforma americana de ensino online Coursera. Desde maio, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) têm aulas sobre temas como finanças e empreendedorismo. Já a Fundação Lemann, organização sem fins lucrativos focada em educação, oferece especialização para gestores escolares.

A grade de cursos disponíveis varia e alguns aguardam demanda para ter início. As aulas são flexíveis e podem ser feitas a qualquer momento. Para isso, o interessado deve se cadastrar no coursera.org, site com 14 milhões de usuários em 122 países. A plataforma já tem aulas de instituições como a Universidade de Londres, Stanford, Princeton e Yale. O Brasil é o quinto país do mundo que mais usa a plataforma.

O analista de Business Intelligence Eduardo Pacheco, de 25 anos, ficou animado com a novidade. “Farei algum curso na minha área quando surgir essa possibilidade.” Pacheco faz graduação em Direito na USP e já experimentou aulas de universidades estrangeiras. “A plataforma privilegia a liberdade, você estuda o que tem interesse. Funciona bem alinhado com o dinamismo do nosso tempo.”

O publicitário Guilherme Gonzales, de 34 anos, também elogia a facilidade da plataforma. “É muito intuitiva.” Ele mora em Porto Velho, Rondônia, e fez um curso de língua espanhola a distância pela Universidade Autônoma de Barcelona.

O que estudar. A USP oferecerá quatro cursos - História da Contabilidade já está disponível há um mês. “Essa parceria será mais inclusiva a estudantes e profissionais de diferentes áreas e níveis, seja qual for o interesse: completar a formação acadêmica, profissional ou mesmo pessoal”, diz o pró-reitor de pesquisa da USP, José Eduardo Krieger.

O pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Unicamp, João Frederico Meyer, destaca que a sala de aula virtual possibilita a interação entre estudantes e professores, por meio de discussões e trabalhos em grupo, seja lá em que Estado ou país o aluno estiver. “O alcance vai ultrapassar a restrição geográfica. O grau de exigência, porém, é o mesmo da vida acadêmica.”

A Unicamp também terá quatro cursos, mas ainda estão sujeitos à demanda para terem início. O único com data anunciada é Empreendedorismo e as Competências do Empreendedor, que começa em 27 de julho. “Vamos lançar outros cursos também no próximo mês, como Português para Estrangeiros e Física Elementar”, conta Meyer.

A Fundação Lemann tem cursos de formação de professores, com destaque para Gestão para a Aprendizagem (GAP), que já tem 15 mil inscritos desde maio. “Buscamos o que há de melhor em novas tecnologias de educação, com objetivo de ter docentes promovendo a transformação social no Brasil. O Coursera ajuda a desenvolver essa mudança na educação”, afirma o coordenador de projetos da instituição, Guilherme Antunes.

SAIBA MAIS

Funcionamento. O aluno assiste a videoaulas, faz a leitura recomendada e responde um questionário semanal. Há fórum de discussão e acompanhamento de instrutores. Para se inscrever, basta ter interesse no curso.

Cursos populares. Psicologia Social (legendas em português), da Wesleyan University, trata de conflitos. Outro curso de destaque é Teoria dos Jogos, de Stanford, que aparece no filme Uma Mente Brilhante.

Certificado. O aluno precisa pagar US$ 49 (o equivalente a cerca de R$ 150) para receber o certificado. Como as aulas são um complemento para cursos técnicos e universitários, os cursos não têm valor de graduação.

Mais conteúdo sobre:
Coursera USP Unicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.