NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

USP cai 11 posições em um dos principais rankings do mundo

A Unicamp, por outro lado, subiu 11 posições desde o ano passado e é a segunda brasileira mais bem colocada, em 195° da lista

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 22h35

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) caiu 11 posições no ranking da publicação britânica Quacquarelli Symonds (QS), uma das principais listas de universidades do mundo. A instituição saiu do 132º lugar, em 2014, para o 143º em 2015. É a segunda queda consecutiva - em 2013, a universidade estava em 127º.

A USP é a segunda instituição da América Latina a aparecer na lista, atrás da Universidade de Buenos Aires (UBA), na Argentina, que está na posição 124.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por outro lado, subiu 11 posições desde o ano passado e é a segunda brasileira mais bem colocada, em 195º do ranking. Desde 2013, a instituição avançou 20 colocações. Unicamp e USP são as únicas brasileiras entre os top 200, de um total 891 avaliadas.

A terceira brasileira a aparecer no ranking do QS é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que caiu do 271º lugar para 323º em um ano.

A avaliação leva em conta, entre outros, reputação acadêmica, citações de trabalhos em artigos científicos, e número de estudantes e professores estrangeiros.

Pelo quarto ano consecutivo, o ranking do QS é liderado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Em segundo lugar aparece a Universidade de Harvard, também nos EUA, e, em terceiro, a de Cambridge, no Reino Unido.

O Brasil é o melhor da América Latina, com 22 universidades no ranking. Em seguida vem Argentina, com 16, e México, com 14.

Os rankings incluem universidades de 82 países. Trinta e quatro países aparecem no top 200. Os Estados Unidos lideram, com 49 instituições, à frente do Reino Unido (30), Países Baixos (12), Alemanha (11), Canadá, Austrália e Japão (8), China (7), França, Suécia e Hong Kong (5). 

Mais conteúdo sobre:
educação USP Unicamp ranking QS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.