USP aceita negociar reajuste de 5% de servidores

Proposta é bem recebida pelo Sintusp; reitoria diz que salários serão pagos em 4 dias úteis após fim da greve

Paulo Saldaña, Especial para o Estadão.edu

30 Junho 2010 | 13h15

A Universidade de São Paulo propôs nesta quarta-feira ao Sindicato dos Trabalhadores da instituição(Sintusp) pagar, em quatro dias úteis, os salários cortados dos servidores, caso a greve seja suspensa. A decisão foi comunicada em reunião entre as entidades, na sede do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp).

 

Além de estipular uma data para o pagamento dos salários suspensos, a direção da universidade, representada na reunião por um conselho de greve, se comprometeu a reabrir as negociações para discutir o reajuste de 5% pedido pelos funcionários, no dia 5 de julho.

 

Também foi dito, durante a reunião, que não vai haver punição a movimento da greve.

 

O Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) não quis comentar as propostas com a imprensa.

Os grevistas planejam anunciar as propostas aos trabalhadores, em assembleia nesta quarta-feira.

 

Um membro do Sintusp que preferiu não se identificar, porém, afirmou que a proposta de pagar os salários cortados representa um "avanço".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.