Universidades ?nota E? respiram aliviadas

Com uma nota E no curso de Direito em 2003, a Universidade Ibirapuera está aliviada. ?O Provão não era bom porque tinha um viés só. O aluno não tinha comprometimento, fazia a prova sem seriedade e a nota ficava com a faculdade?, afirma o reitor da universidade, Jorge Bastos. ?Graças a Deus o Provão acabou, estou aliviado.? Com a mudança de regras, instituições com conceito E não terão mais de explicar porque seus alunos foram mal nem correm o risco fechar.Bastos acredita que o grande problema do sistema antigo é que só a nota tirada pelos alunos ganhava destaque. ?A avaliação da escola ficava em segundo plano para a sociedade e isso era injusto.? A nova proposta, acredita, será melhor para as instituições. ?Além de termos apenas um conceito final, que englobará vários itens, com as provas no primeiro e no último anos, conseguiremos medir o que, de fato, um aluno aprendeu durante o curso.?A auto-avaliação das faculdades e a análise da participação do curso na comunidade são outros pontos elogiados por Bastos, que critica apenas o uso da amostragem. ?A avaliação deveria ser para todos os alunos. De qualquer forma, agora teremos um panorama geral de cada faculdade. Sou totalmente a favor do novo sistema.?AmostragemTambém com um conceito E no curso de Direito e outro em Engenharia Elétrica no ano passado, a diretora de graduação da Universidade São Marcos, Helena Rosa Lima, é mais uma que teme pela amostragem. ?A prova deveria ser para todo mundo, mas acho fundamental que a nota não fique apenas em cima dos alunos. A maioria deles não tem compromisso e nos prejudica. Ainda bem que isso vai mudar.?Já Roberto Rodrigues, um dos coordenadores de curso da Universidade Camilo Castelo Branco, que em 2003 recebeu E em Odontologia e Engenharia Civil, acredita que o maior problema da prova antiga era não levar em conta a regionalidade de cada curso. ?Uma avaliação é sempre positiva mas não pode ser única para todo o País?, afirma. ?Espero que o novo sistema leve isso em conta.? leia também Novo Provão estréia em novembro, com sorteio de alunos Curso e instituição também serão avaliados Ex-reitor critica indicadores; UNE aplaude Para idealizador do Provão, universidades ruins venceram

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.