Universidades federais ameaçam entrar em greve

Os professores das universidades federais podem entrar em greve a partir do dia 27. A paralisação está sendo posta em votação nas assembléias realizadas por trabalhadores de cada instituição. As federais têm atualmente cerca de 70 mil professores. Segundo a presidente do Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (Andes), Marina Barbosa, a categoria não pretende aceitar as gratificações - espécie de prêmio e incremento salarial, dependendo da condição do servidor - que o governo tem oferecido. "Queremos que esse montante disponível para as gratificações seja distribuído em forma de reajuste salarial", diz. As negociações estão sendo feitas com o Ministério do Planejamento e mais uma rodada ocorrerá nesta quinta-feira. De acordo com a Assessoria de Imprensa do ministério, outras cinco categorias - entre elas a dos professores do ensino fundamental, médio e tecnológico - já aceitaram as gratificações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.