Universidades excluídas reagem a lista da OAB

Classificação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na qual somente 60 dos 215 cursos de Direito analisados obtiveram avaliação positiva provocou reações das universidades excluídas. A UniFMU de São Paulo publicou um anúncio nos jornais em que agradece à seção paulista da OAB um diploma de mérito concedido pela ordem em 11 de agosto do ano passado.Os diretores da UniFMU não quiseram dar entrevista, mas a assessoria de imprensa divulgou nota em que manifesta "estranheza" pelo fato de a universidade não constar da lista das 12 instituições paulistas consideradas de boa qualidade. "A UniFMU tem um curso conceituado e somos bem avaliados pela seção de São Paulo da OAB. A OAB nacional, que fez o ranking, não ouviu a sua seção paulista."A Universidade Candido Mendes (Ucam), do Rio, também se manifestou contra a lista. A instituição publicou anúncio no qual defende a avaliação ?do mercado? sobre a qualidade do seu curso. Segundo a instituição, 78% dos seus alunos são aprovados no exame da Ordem e 28 juízes aprovados nos últimos concursos da Magistratura eram formados na Ucam.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2004 | 21h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.