Universidades do Brasil, Colômbia e Cuba participam de salão de invenções

No total, serão entregues 54 prêmios diversos e são esperados 60 mil visitantes

EFE,

05 Abril 2011 | 14h49

GENEBRA - A 39ª edição do Salão Internacional das Invenções de Genebra, que será realizado entre os dias 6 e 10 de abril, dará este ano um espaço específico às criações das universidades, três delas latino-americanas, sendo uma brasileira.

 

Pela primeira vez, o salão dedicará um pavilhão específico às invenções de estudantes e professores universitários, administrado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), colaboradora do evento. Para esta primeira edição do pavilhão, foram convidados oito países, três deles latino-americanos: Brasil, Colômbia e Cuba. No total, 14 universidades participarão do evento e mostrarão 37 invenções.

 

As três criações universitárias mais inovadoras serão recompensadas com um prêmio da OMPI, que também concederá uma medalha ao melhor inventor, à melhor inventora e ao melhor jovem inventor do salão. Além disso, a OMPI organiza um pavilhão de informações sobre patentes do qual participarão 13 escritórios nacionais, entre eles o do Brasil. Este ano, 785 expositores provenientes de 45 países apresentarão mais de mil invenções.

 

Delas, 79% foram criadas por empresas, instituições ou universidades, e 21% por inventores individuais. Ao todo, 48% das invenções apresentadas provêm da Europa, 47% da Ásia e o Oriente Médio, e 5% dos demais continentes. As invenções cobrem todos os campos do saber, a tecnologia e a ciência, embora por ordem de importância destaquem-se as relacionadas com o meio ambiente e a saúde.

 

No total, serão entregues 54 prêmios diversos e são esperados 60 mil visitantes, 55% deles profissionais e 45% interessados em geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.