Universidade Stanford terá curso em São Paulo e vai ensinar inovação

Universidade Stanford terá curso em São Paulo e vai ensinar inovação

Instituição dos Estados Unidos traz reconhecido programa de empreendedorismo para o Brasil; inscrições vão até 15 de abril

Bárbara Ferreira Santos, Estadão.edu

24 Fevereiro 2015 | 03h00

 

A Universidade Stanford, uma das instituições mais conceituadas dos Estados Unidos, vai oferecer um curso de inovação e empreendedorismo para pessoas que não estejam ligadas à área de negócios. O melhor: pela primeira vez, essa extensão será oferecida no Brasil, em São Paulo, em turmas semipresenciais. 

As inscrições para o programa Stanford Ignite, da Escola de Graduação em Negócios de Stanford, estão agendadas para até o dia 15 de abril. As aulas serão dadas no prédio da Microsoft Brasil, parceira do projeto no País, na zona sul de São Paulo. O programa será todo em inglês e vai de agosto a outubro. Os participantes terão aulas nas noites de sexta-feira, aos sábados e domingos.

O curso funciona como uma extensão. Só pode se inscrever quem já possui um diploma de bacharelado ou pós-graduação em um campo que não seja relacionado a negócios. Os candidatos terão, além disso, de mostrar experiência na área em que trabalham. 

Ideias e potencial. “A intenção do curso é dar ferramentas de inovação para pessoas que queiram arriscar (em seus próprios negócios ou projetos) e pessoas que trabalham em grandes empresas”, afirma o diretor do Stanford Ignite, Yossi Feinberg, que também é professor de Economia da universidade. “Queremos pessoas que tenham ideias fortes e grande potencial na área em que trabalham”, completa.

A ideia do departamento é a de que o curso seja aplicado anualmente em São Paulo. “Queremos atingir indivíduos que vão impactar suas regiões com seus projetos”, afirma. “Por exemplo, em Bangalore, na Índia, onde atuamos há três anos, percebemos, com este programa, como a comunidade é criativa.” O curso é oferecido também no Chile, na China, na Inglaterra e na França.

Para os alunos aprenderem sobre empreendedorismo no Brasil, a Microsoft selecionará especialistas, empreendedores e investidores que participarão de conversas. “O curso vai ajudar, sob o ponto de vista da administração, quem tem boas ideias, mas não repertório de negócios”, explica o diretor de Inovação e Novas Tecnologias da Microsoft Brasil, Richard Chaves.

Entrevista. Para o diretor do Stanford Ignite, Yossi Feinberg, o sucesso do Vale do Silício no empreendedorismo, onde está a Universidade Stanford, é devido, em grande parte, à educação. Pensando nisso, ele quis levar os ensinamentos da região para países nos quais a inovação está crescendo e há potencial, como o Brasil. 

Por que a escolha desses países? 

Queremos compartilhar nossas experiências com essas localidades. Temos conhecimento suficiente para isso. Queremos ensinar pessoas que têm potencial para impactar o local onde vivem. 

Faltam empreendedores brasileiros que aceitam correr riscos ? 

O Brasil é perfeito porque, apesar de pleno de questões desafiadoras, é um país com muitas oportunidades e pessoas extremamente empreendedoras. Ser empreendedor, porém, não significa só correr riscos, mas saber confrontá-los e aprender a reduzi-los.

Serviço:

Stanford Ignite em SP

Inscrições: até 15 de abril

Aulas: de agosto a outubro, por por sete fins de semana não consecutivos, nas noites de sexta-feira e aos sábados e domingos.

Inscrições

Preço: o programa custa US$ 10 mil (R$ 28.600), mas estudantes com dificuldade financeira 

podem entrar em contato com a universidade. 

Site: stanford.io/19DYjBs

Mais conteúdo sobre:
intercambio stanford

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.