Universidade pública terá 5 cursos a distância em 2005

A partir do ano que vem começa no Brasil o primeiro sistema de ensino de graduação a distância ligado às universidades públicas. No primeiro ano já serão oferecidas 17.585 vagas para licenciatura: 2.530 em Física, 3.410 em Biologia, 1.680 em Química, 3.565 em Matemática e 6.400 em Pedagogia.No total, as vagas chegam a quase três vezes o que a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a maior do País, ofereceu no vestibular de 2004 para todas as áreas.O Ministério da Educação definiu essas áreas de licenciatura para dar prioridade à formação de professores, em especial de Exatas. Isso porque o déficit de professores chega a 235 mil só no ensino médio. Em Física, por exemplo, seria de 23.500 professores, enquanto nos últimos 12 anos 7.200 pessoas se formaram na área.Os cursos serão oferecidos por consórcios de instituições públicas, que apresentaram projetos de cursos a distância ao MEC. Houve 29 propostas para as cinco áreas - 19 selecionadas. Essas receberão R$ 14 milhões este ano da União para infra-estrutura e preparação de material.Os consórcios reúnem instituições de uma mesma região geográfica. Elas atuarão juntas para elaborar o material didático e oferecer a estrutura de apoio, como tira-dúvidas, e os pólos regionais onde os alunos terão de comparecer para avaliações.A seleção será feita da mesma forma que nos cursos regulares. "As instituições farão vestibulares ou outras formas de seleção, mas voltadas para essas vagas específicas", disse o secretário de Ensino a Distância do MEC, Marcos Dantas.O curso poderá ou não ser feito por computador. Como a internet tem uso limitado no País, o material inclui vídeos e textos impressos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.