Universidade é base do desenvolvimento, diz Mesquita

Em uma palestra na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, o jornalista Ruy Mesquita, diretor do Estado, narrou como a criação da Universidade de São Paulo (USP) foi idealizada por seu pai, Julio de Mesquita Filho. O evento desta terça integrou a Semana do 11 de Agosto, na qual se comemoram os 70 anos de fundação da USP e os 177 anos da faculdade. Ruy Mesquita ressaltou a obsessão do pai pela criação de universidades como um meio de contribuir para o desenvolvimento do Brasil. "Ele pensava e respirava esses projetos", disse. Também falou dos contatos do pai com universidades francesas, cujos professores, convidados a lecionar na USP, foram fundamentais para lhe dar um diferencial. Outros fatos relatados foram a prisão de Julio de Mesquita Filho e do cunhado Armando de Salles Oliveira, no governo de Getúlio Vargas, e a intervenção federal no Estado. Após o movimento de 1932, Oliveira foi nomeado interventor de São Paulo e o seu primeiro ato foi a criação da USP. Antes de Ruy Mesquita, o professor da Academia Paulista de História e advogado Antonio Penteado Mendonça explicou o surgimento da USP no contexto do desenvolvimento econômico de São Paulo desde o século 19 e falou da importância dos valores morais e intelectuais da universidade, até a ascensão do sociólogo Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Já o também professor da Academia e desembargador Emeric Lèvay abordou a importância do professor Reynaldo Porchat, o primeiro reitor da USP. Eles falaram por cerca de 15 minutos cada um, em uma mesa na qual também estavam o reitor da universidade, Adolpho José Melfi, e o governador interino do Estado, Cláudio Lembo, entre outras autoridades.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2004 | 09h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.