Universidade de Londres é atração para arquitetos

A London Metropolitan University ousou na modernização do espaço para os alunos e professores, habituados a ambientes austeros na capital britânica. Contratou o arquiteto polonês-americano Daniel Libeskind, autor do projeto vencedor para o Memorial do 11 de Setembro em Nova York, e fez de sua unidade na Holloway Road uma atração para turistas e arquitetos.São três construções em forma de prismas conjugados, compondo um conjunto de planos inclinados (marca registrada de Libeskind) com o brilho do aço inoxidável, que dá a impressão de uma superfície sempre em mudança.A entrada pela calçada dá num pequeno jardim em "L". Dentro, todas as paredes são brancas, as janelas são sempre largas para garantir boa iluminação, conjugada com luz artificial que elimina as sombras nos cantos. Os espaços são todos flexíveis para se adaptar a todo tipo de atividade de estudos e pesquisas. Tem área para eventos e um café."O fato de a universidade ter pedido um prédio pequeno com um orçamento pequeno não significa que eu deveria produzir uma experiência arquitetônica sem qualidade", disse Libeskind. "Fui estudante e professor, e sei que esse tipo de construção não deve ser apenas uma fábrica de conhecimento, tem de ter uma atmosfera interessante e divertida." A universidade gastou US$ 9,8 milhões.Entusiasmo dos alunosPara o professor David Phillips, as novas instalações são um "ambiente excitante", com um espaço "maravilhoso" e muita luz por toda parte. "Grande parte do aprendizado em Londres acontece em lugares deprimentes", comparou o sociólogo, que dá aulas de metodologia de pesquisa científica.O prédio foi construído entre fevereiro de 2003 e janeiro passado, e oficialmente aberto no dia 9 de março. Mas desde o início de fevereiro os alunos de pós-graduação vêm usando as novas instalações. "Notamos um entusiasmo maior dos estudantes e acreditamos que isso se deva às qualidade do novo prédio", disse Phillips.Formas "diferentes"A London Metropolitan University tem 38 mil alunos de 140 países e 4 mil professores e funcionários, com 12 unidades espalhadas pela cidade. A unidade da Holloway Road é um marco na arquitetura deste movimentado entroncamento viário de Londres. "É uma edificação nada usual nesta região da cidade, e muitos arquitetos vêm vê-la. É comum olhar pela janela e ver alguém lá fora com uma câmera num tripé", comenta Phillips.Este é o primeiro projeto de Libeskind executado em Londres. O arquiteto de 56 anos, que se naturalizou norteamericano em 1965, ganhou fama internacional ao vencer o concurso para projetar o Museu Judaico em Berlim. Ele chama atenção pelas formas "diferentes".Seu projeto para o London´s Victoria and Albert Museum - que deve ser executado em 2008 - foi comparado com um castelo de cartas desabando.

Agencia Estado,

18 de março de 2004 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.