EVELSON DE FREITAS/ESTADÃO
EVELSON DE FREITAS/ESTADÃO

Universidade culpa site do MEC por tumulto no atendimento sobre Fies

Estudantes que procuraram a Veiga de Almeida, na Tijuca, não conseguiram informações e relataram tumulto no saguão

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

02 Março 2015 | 18h37

RIO - Estudantes que neste sábado, 28, procuraram a Universidade Veiga de Almeida (UVA), em seu câmpus da Tijuca (zona norte do Rio), para obter informações sobre o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do governo federal que financia cursos universitários, não conseguiram atendimento e relataram tumulto no saguão da universidade.

Vídeos feitos por estudantes mostram a aglomeração de pessoas e discussões com funcionários da UVA.

Nesta segunda-feira, 2, a instituição de ensino informou que no sábado pretendia atender tanto estudantes interessados em saber sobre o Fies como sobre o Programa Universidade para Todos (ProUni). Todos que queriam orientações sobre o Prouni foram atendidos, mas, segundo a assessoria de imprensa da UVA, problemas no site lançado pelo Ministério da Educação sobre o Fies impediram os esclarecimentos a quem estava interessado nesse programa. O atendimento foi remarcado para esta quarta-feira, 4.


"A Universidade Veiga de Almeida informa que 100% dos alunos do ProUni foram atendidos, no último sábado. No caso do Fies, exclusivamente devido à instabilidade do SisFies, controlado pelo governo federal, não foi possível realizar o atendimento da forma usual. Como as novas regras ainda não estão totalmente claras, a universidade suspendeu provisoriamente o atendimento a novos alunos do Fies para que, nos próximos dias, possamos receber as informações definitivas necessárias do MEC / FNDE para regularizar o atendimento a alunos novos", informou a universidade, por meio de nota.

O MEC não se manifestou sobre o caso nesta segunda-feira. Na semana passada, o ministro da Educação, Cid Gomes, admitiu problemas no site do Fies e afirmou que eles estavam sendo corrigidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.