Universidade Cândido Mendes deve ter greve na 2.ª feira

Professores e técnicos administrativos de dois dos 13 campi da centenária Universidade Candido Mendes, instituição privada com unidades no Estado do Rio, Vitória e Curitiba, prometem greve a partir de segunda-feira. Embora os salários de fevereiro de funcionários de Ipanema e do Centro tenham sido depositados nesta sexta, eles devem parar por quatro dias para pressionar a direção a regularizar o pagamento dos contra-cheques.A direção da Candido Mendes divulgou nota em que nega um débito de três meses, mas uma proposta feita pela universidade, cuja cópia foi obtida pelo Estado, revela que a situação é ainda mais crítica. Segundo o documento, há salários atrasados referentes aos meses de novembro a fevereiro.Além disso, os funcionários ainda não receberam o pagamento integral do 13.º salário relativo aos anos de 2001, 2002 e 2003. ?Estamos há dois anos tentando segurar o que vai acontecer na segunda-feira. Mas agora a situação ficou realmente insustentável", afirmou o presidente do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar, Jorge Menezes."Em dia"Na nota emitida pela instituição, a direção diz que ?o salário de mil servidores de um universo de 1.258 estão absolutamente em dia, dentro do programa estabelecido e de acordo com o cronograma proposto pela direção?.No entanto, o acordo não foi aceito pelos funcionários. Menezes acrescenta ainda que nem todos os 1.193 funcionários dos dois campi receberam o pagamento nesta sexta. ?Foram apenas aqueles que têm salário até R$ 3 mil, com líquido de até R$ 2.450, ou seja, 935?, disse.Mensalidades pagasSegundo o estudante Rodrigo Gouvea, do Diretório Estudantil de Direito da universidade, os alunos são solidários ao movimento grevista. ?Nós pagamos as mensalidades em dia, sabemos que a unidade de Ipanema é superavitária e, ainda assim, os funcionários estão com o pagamento atrasado." Só no campus de Ipanema estudam 1.700 alunos.Segundo Menezes, ?há unidades que estão muito bem financeiramente, como a da Tijuca, mas elas são franqueadas, ou seja, não estão nas mãos da família Candido Mendes?.O Estado procurou a direção da Candido Mendes mas, segundo a assessoria de imprensa, a instituição iria se pronunciar apenas por meio da nota.

Agencia Estado,

12 de março de 2004 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.