Unifesp vai dar curso de RH na região de Cidade Dutra, em SP

No mês que vem, a Unifesp inaugura seu primeiro curso sobre recursos humanos para jovens de Cidade Dutra, Capela do Socorro, Cidade Ademar e região. A reitoria planeja também a construção de um campus na região com um modelo de acesso a vagas que privilegie alunos de escolas públicas.Profissionais da universidade e do Hospital São Paulo começam em 14 de junho a oferecer um curso sobre marketing pessoal, comunicação e relações profissionais, além de dicas sobre como preparar um currículo, como se apresentar numa entrevista e orientações sobre as áreas do mercado em expansão."Orientação profissional é sempre necessária", diz Tiago da Silva, de 22 anos, morador do Jardim Colonial, na zona sul. Assim como Tiago, Robson Oliveira, de 21 anos, está em busca de um emprego e de uma chance numa universidade pública. "Nunca tentei prestar vestibular para faculdades particulares, porque não teria condições de pagar as mensalidades", diz Robson.Aula de fim de semanaA partir de julho ou começo de agosto, o curso passa a funcionar com novo formato e terá duração de seis meses. As aulas serão ministradas nos fins de semana na Escola Municipal Miguel Vieira Ferreira, em Cidade Dutra. A escola é uma das que abrem suas portas para atividades extra-curriculares à comunidade.O reitor da universidade, Hélio Egydio Nogueira, está pessoalmente empenhado na idéia e já visitou por duas vezes um terreno do governo federal, na Avenida Interlagos - potencial endereço para o novo campus. O caminho, porém, pode ser longo. A USP levou dois anos para tornar viável o projeto de seu campus na zona leste - cujas obras começam este ano.Depois de oito anos à frente da reitoria, Nogueira deixa o posto em 2 de julho. O candidato único ao cargo é seu atual vice-reitor, o professor Ulysses Fagundes Neto, chefe do Departamento de Pediatria. "Tenho certeza de que esse projeto vai ser levado adiante, porque ele (Fagundes Neto) é uma pessoa com grande sensibilidade social e isso não pode ser um projeto meu, pessoal, mas da instituição."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.