Unifesp simplifica teste de déficit de atenção

Novo método apresenta roteiro mais simples para leitura dos resultados

Fábio Mazzitelli, JORNAL DA TARDE

21 Setembro 2010 | 09h32

Pesquisadores do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo finalizaram pesquisa que propõe um método simplificado de diagnóstico clínico do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), que ajudaria o trabalho clínico de psicólogos, médicos e demais profissionais que lidam com o transtorno.

 

De acordo com o psicólogo Thiago Strahler Rivero, integrante da equipe que desenvolveu o trabalho, o novo método consiste de um roteiro mais simples para a leitura dos resultados dos testes de desempenho contínuo, usados para o diagnóstico.

 

A pesquisa concluiu que é possível resumir os 15 resultados apresentados por avaliação em 5 itens. “A gente não está propondo mudar o teste, mas a forma de corrigi-lo e avaliá-lo para diminuir a subjetividade”, afirma o pesquisador.

 

A busca por mais precisão no diagnóstico do TDAH é um dos principais desafios para o tratamento adequado da disfunção, que hoje acomete mais de 5% das crianças e dos adolescentes no mundo, estimam os pesquisadores. “Hoje, a subjetividade do avaliador é grande. Se o mesmo caso passar por dez psicólogos, cada um vai dizer uma coisa”, diz Rivero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.