Unicamp terá mudanças no vestibular só em 2011

Estudo de como seria o novo processo seletivo tem sido feito desde 2005, diz Renato Pedrosa, coordenador-executivo da Comissão Permanente para o Vestibular, a Comvest

Elida Oliveira, Especial para o Estadão.edu

08 Janeiro 2010 | 14h47

As mudanças previstas para o vestibular da Unicamp deverão entrar em vigor no próximo processo seletivo, em 2011. A primeira fase passará a ter questões de múltipla escolha sobre as disciplinas do ensino médio. Também haverá 3 redações de até 20 linhas. "Em um contexto geral, o vestibular vai ficar parecido, mas a primeira fase irá avaliar melhor", diz Renato Pedrosa, coordenador-executivo da Comissão Permanente para o Vestibular, a Comvest.   Para ele, avaliar candidatos por meio de três redações de 20 linhas, e não uma de 60, como havia sido até então, possibilita que a seleção seja mais rigorosa. "A redação é um ponto importante. A qualidade seletiva de uma prova é melhor se tiver mais questões. Optamos por três textos de 20 linhas porque há a limitação de tempo para o candidato escrever e também o tempo para corrigí-los depois.   De acordo com Pedrosa, as alterações estão sendo pensadas e discutidas dentro da universidade desde 2005 e servem para adaptar a seleção à procura cada vez maior de candidatos pela universidade. Para o processo seletivo de 2010, o número de inscritos foi recorde: 55.484. "As discussões sobre as mudanças chegaram a um ponto que consideramos o ideal tanto na qualidade de seleção quanto na nossa capacidade de correção das provas", avalia.   A segunda fase da Unicamp 2011 terá 3 dias, mas as questões permanecerão sendo dissertativas. A mudança vem nos grupos de provas, separadas por áreas de conhecimento: linguagens (português e matemática), humanidades (história e geografia) e ciência (física, química e biologia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.