Antonio Scarpinetti/Divulgação
Antonio Scarpinetti/Divulgação

Unicamp avalia capacidade de reflexão do aluno em prova de Português

Primeira prova da segunda fase do vestibular, ocorrida neste domingo, trouxe teste com temas "atuais", na avaliação de especialistas

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2019 | 19h11
Atualizado 14 de janeiro de 2019 | 15h12

SÃO PAULO - Na Redação e nas provas de Português e Literatura da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), neste domingo, 13, os alunos que foram cobrados a mostrar capacidade de reflexão diante de temas atuais, na avaliação de especialistas ouvidos pelo Estado.

A redação deu dois textos aos alunos, que tinham de produzir a resposta em 24 linhas para as propostas. Uma era uma postagem na internet dando saídas para o desenvolvimento econômico do País, a partir de um material de apoio que trazia informações sobre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Noruega. A outra, um abaixo assinado pedindo posicionamento da universidade sobre um caso em que uma professora era acusada injustamente de doutrinação política, tema avaliado como “bastante atual” pelos especialistas.

“Não se cobrou uma posição do aluno, seja para um lado, seja para outro. Mas sim a capacidade de refletir sobre o assunto”, afirmou o coordenador da Oficina do Estudante, Marcelo Pavani. Ele destacou que, com o vestibular, a Unicamp deixou claro a opção de peneirar os alunos em busca daqueles que têm na reflexão crítica sobre os temas atuais. Para ele, a Unicamp quer alunos com “maturidade intelectual”, que conseguem colocar o conhecimento que trazem do ensino médio em contexto com os temas de hoje.

É um entendimento similar da professora de Português do Objetivo Viviane Xanthakos, que viu uma prova “exigente” e “atual”. Ela destaca que as seis perguntas de gramática do teste não trouxeram nenhuma dificuldade maior do nos demais anos, mas que as três perguntas que cobraram a leitura obrigatória da universidade foram complexas a ponto de não poderem ser respondidas por um candidato que não as tivesse lido.

Na segunda fase, as provas da Unicamp têm duração de quatro horas. Nesta segunda-feira, 14, as provas são de Matemática, Geografia e História. Na terça, 15, é a vez de Física, Biologia e Química. As provas de habilidades específicas vão ocorrer entre os dias 21 e 25 de janeiro. A primeira chamada dos aprovados será no dia 11 de fevereiro.

Há 69,7 mil candidatos disputando as 2.589 vagas, em 69 cursos, disponíveis na graduação da instituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.