Uniafro chega a Mato Grosso

Professores das redes públicas estadual e municipal e privada de Cáceres, Mato Grosso, participam do curso de especialização em relações raciais, educação e escola no Brasil, uma iniciativa do Programa de Ações Afirmativas para a População Negra nas Instituições Públicas de Educação Superior (Uniafro), do Ministério da Educação, e do Núcleo de Estudos sobre Educação, Gênero, Raça e Alteridade (Negra) da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). Os 23 professores, egressos dos cursos de história, pedagogia e letras, já estão no sexto dos dez módulos do curso, ministrado pela Unemat. No semestre passado, eles desenvolveram projetos em sala de aula sobre preconceito racial.Outra iniciativa do Uniafro, em parceria com o Negra, é a oferta de um curso pré-vestibular gratuito para a população carente, previsto para agosto próximo, destinado principalmente a jovens afrodescendentes. Para outubro, está previsto um seminário de avaliação dos programas.A Unemat recebeu este ano o selo Gênero e Raça, concedido pela Prefeitura de Cuiabá, como reconhecimento pela iniciativas destinadas a superar as desigualdades sociais e combater o racismo. Desde o final de 2004, a universidade adota o sistema de cotas - 25% das vagas nos cursos de graduação são destinadas a alunos que se autodeclarem negros ou pardos. No vestibular do início deste mês, foram oferecidas 450 vagas a estudantes enquadrados no Programa de Inclusão Étnico-Racial da instituição.O Uniafro é desenvolvido pelas secretarias de Educação Superior (SESu/MEC) e de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC), para permitir o acesso e garantir a permanência de estudantes negros no ensino superior, além de estimular as universidades a desenvolver ações afirmativas junto a comunidades.Mais informações pelos telefones (61) 2104-9309 e 2104-9221 e nas páginas eletrônicas do Uniafro e da Unemat.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.