Unesp revoga expulsão de 17 alunos que invadiram prédio

Decisão foi tomada pelo Conselho Universitário da instituição nesta quinta; nova punição é suspender grupo por 180 dias

O Estado de S. Paulo

07 Maio 2015 | 20h22

SÃO PAULO - A Universidade Estadual Paulista (Unesp) decidiu revogar a expulsão de 17 alunos que invadiram a diretoria da Faculdade de Ciências e Letras do câmpus de Araraquara em maio de 2014. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário, órgão máximo da instituição, na manhã desta quinta-feira, 7.

A punição anterior será substituída por uma suspensão de 180 dias, a contar da data de publicação da medida no Diário Oficial do Estado. A decisão de desligar os 17 universitários foi publicada oficialmente em 29 de janeiro, mas suspensa 15 dias depois para análise de recurso.

Na manhã desta quinta, um grupo de 100 estudantes fez um protesto contra a expulsão dos colegas. Eles se concentraram na porta da reitoria da Unesp, no centro da capital, onde o conselho se reunia.

Protesto. Em maio de 2014, os alunos ocuparam salas do prédio da diretoria com a reivindicação de melhorar o sistema de moradia estudantil da universidade. A Unesp chegou até a acionar a Justiça para retirar os manifestantes do local.

De acordo com a reitoria, a sindicância que apurou o episódio confirmou a "invasão e a ocupação das salas da diretoria, vice-diretoria, sala de reunião e copa do prédio". Disse também que o grupo violou normas previstas no estatuto da universidade e que, durante a investigação, "tiveram direito à ampla defesa e ao contraditório".

Mais conteúdo sobre:
unesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.