Unesco pede doação de parte da renda obtida na Copa de 2010

Organização solicita 0,4% da arrecadação para destinar à escolarização de crianças em países mais pobres

Efe,

04 Dezembro 2009 | 10h55

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) pediu nesta sexta-feira, 4, à Fifa para que doe 0,4% da renda obtida com a Copa de Mundo de 2010, na África do Sul, para destinar essa quantia à escolarização de crianças nos países mais pobres. Em paralelo, a Unesco solicitou um esforço similar às cinco principais ligas europeias nos próximos seis anos, iniciativas com as quais pretende receber US$ 48 milhões anuais. O diretor do Relatório de Monitoramento Mundial sobre a Educação para Todos, Kevin Watkins, disse que a soma que se almeja arrecadar é "inferior ao que muitos clubes europeus gastam por um único jogador" e lembrou que o Real Madrid pagou três vezes mais pelo português Cristiano Ronaldo. Com o dinheiro arrecadado, os incentivadores da medida consideram que será possível escolarizar meio milhão de crianças por ano. Segundo a Unesco, a Copa de 2010 deve gerar renda de US$ 850 milhões. Soma-se a isso o dinheiro gerado pelos cinco principais campeonatos europeus, que vão do US$ 1,4 bilhão da França aos quase US$ 2 bilhões de Espanha, Itália e Alemanha, passando pelos US$ 3,5 bilhões do Reino Unido. Segundo a Unesco, mais de 70 milhões de crianças estão fora das salas de aula em todo o mundo, enquanto a ajuda internacional para a educação estagnou.

Mais conteúdo sobre:
UnescoCopa do Mundo2010Fifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.