Unesco deve adotar índice brasileiro para juventude

Como integrar os jovens às sociedades? É uma das preocupações da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), já que o planeta jovem está cada vez mais enigmático. O Brasil inventou uma ferramenta que permite medir e apreciar o desenvolvimento da juventude, o Índice de Desenvolvimento Juvenil (IDJ), inspirado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).O IDJ foi lançado na Unesco, na segunda-feira. O autor do relatório, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da Unesco no Recife, não pôde comparecer e o trabalho foi exposto pelo representante do órgão no Brasil, Jorge Werthein.O objetivo é dar ao Brasil, e a todos os países interessados, um modelo de avaliação do desenvolvimento dos jovens que seja simples e refinado, já que eles apresentam diferenças infinitas entre si.O índice se baseia em três dados: avaliação da educação - índice de analfabetismo, número de jovens no ensino médio e qualidade do ensino; saúde, com uma distinção clara entre as mortes por causas internas e as mortes violentas; e nível de renda.Embaixadores da Unesco elogiaram a idéia e sugeriram a criação de um Observatório para a Juventude, a ser instalado no Brasil.

Agencia Estado,

11 de maio de 2004 | 11h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.