UNE recebe 617 reclamações contra o Enem

Entidade quer que MEC aponte critérios para definir quem terá chance de fazer exame 'extra'

Carlos Lordelo , Estadão.edu

09 Novembro 2010 | 20h21

A central de denúncias criada pela União Nacional dos Estudantes (UNE) para receber reclamações de candidatos prejudicados pelos problemas do Enem no sábado - impressão errada do cartão-resposta e de cerca de 20 mil cadernos de questões da cor amarela - recebeu 617 manifestações até as 18 horas desta terça-feira, 9.

 

A central funciona das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, pelo e-mail enem2010@une.org.br e pelo telefone (11) 2271-0792. A partir das queixas, a entidade estudantil vai identificar possíveis medidas individuais ou coletivas ou outros posicionamentos a serem tomados em relação ao exame.

 

Leia também:

 

- Defensoria Pública já recebeu mais de 3.500 e-mails com reclamações sobre o Enem

 

O presidente da UNE, o aluno de Sistemas de Informação da USP Augusto Chagas, de 28 anos, quer que o Ministério da Educação aponte "critérios objetivos" para definir quais candidatos do Enem poderão fazer uma nova prova, em data ainda a ser definida. Se isso não for possível, Chagas defende a possibilidade de qualquer estudante inscrito que se sinta prejudicado tenha o direito ao Enem "extra".

 

"Somos intransigentes na defesa dos estudantes", diz o presidente, que é contra a anulação do exame. "Milhões de estudantes se prepararam e fizeram a prova em condições adequadas. Anular o Enem seria cometer uma injustiça com esta grande maioria."

 

Para Chagas, a isonomia estará "preservada" caso somente uma parte dos candidatos possa refazer os testes do sábado. "É consenso entre os especialistas que a TRI (Teoria de Resposta ao Item, conjunto de modelos matemáticos usado no Enem) é um modelo vencedor", diz ele. A TRI permite que os exames tenham o mesmo grau de dificuldade. As questões ganham um peso que varia de acordo com o desempenho dos estudantes nos pré-testes.

 

Leia também:

 

- MEC usa TRI para derrubar liminar na Justiça Federal do Ceará

- Entenda como funciona o Enem

 

Sobre o pedido de retratação pública feito pela UNE ao Inep por causa de comentários postados no Twitter, o presidente da entidade diz que ainda aguarda posição oficial do MEC. "É um absurdo um órgão ligado ao ministério ameaçar estudantes", afirma Chagas.

 

Em nota publicada na noite desta terça-feira, a UNE e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) reivindicam a criação de um instituto federal para ser responsável pela aplicação das provas do Enem. As entidades estudantis também solicitam a marcação de uma audiência com o ministro da Educação, Fernando Haddad, para que estudantes prejudicados possam discutir os problemas ocorridos no Enem.

Mais conteúdo sobre:
EnemEnem 2010MEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.