UNE quer adicional de R$ 1 bi só para as federais

A União Nacional dos Estudantes (UNE) quer um acréscimo de R$ 1 bilhão apenas no orçamento das universidades federais a partir do ano que vem, e não para todo o orçamento do MEC, como foi anunciado recentemente. Essa é uma das principais propostas apresentadas nesta terça-feira pela entidade como colaboração ao projeto de reforma universitária do governo federal.Os estudantes pregam, ainda, que o governo reedite o artigo do Plano Nacional de Educacional que garante o investimento de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, vetado no governo de Fernando Henrique Cardoso. Hoje o País investe cerca de 4,5% do PIB.?Claro que não vamos chegar de uma hora para outra a esse percentual, mas precisamos de uma sinalização. O aumento de 34% nos recursos de custeio para as universidades que o Ministério da Educação está pronto é pouco ainda para as necessidades existentes?, disse o presidente da UNE, Gustavo Petta.EleiçõesMas não é apenas dinheiro que os estudantes estão pedindo. Outra das suas exigências que não aparece na proposta do MEC é a maior participação dos alunos nas eleições universitárias e nos conselhos universitários. Hoje, os conselhos têm 70% de professores e o restante dividido entre alunos e servidores. A UNE quer um terço para cada.?Não pode haver autonomia universitária se apenas os professores decidirem sobre o orçamento, por exemplo?, defendeu Petta.A UNE, porém, defende pontos propostos pelo MEC, como as cotas raciais, a reserva de vagas nas federais para alunos de escolas públicas e o ciclo básico nos dois primeiros anos da universidade.

Agencia Estado,

10 de agosto de 2004 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.