UNE "enterra" o Provão em protesto

"Já enterramos e vamos queimar, para não ter medo de ressuscitar." Eram as palavras de ordem entoadas pelos integrantes da União Nacional dos Estudantes que, em frente ao Ministério da Educação, atearam fogo a um caixão para simbolizar o fim do Exame Nacional de Cursos, o Provão.A manifestação, na quarta-feira, começou às 16h30 com estudantes encenando o "velório" do antigo sistema de avaliação do ensino superior. Durante o protesto, não faltaram citações ao ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza e à ex-secretária de ensino superior Eunice Durham."Vamos concentrar nossas forças para fazer com que a nova avaliação seja colocada em prática o mais rápido possível", afirmou o presidente da UNE, Gustavo Petta. Anunciado há duas semanas, o novo sistema de avaliação será realizado em duas etapas.O maior avanço na opinião do presidente da UNE é o fato de que estudantes passam a ser sujeitos ativos na avaliação. "O Provão não trouxe benefício aos estudantes, pelo contrário. Não houve punição de instituições de baixa qualidade e somente estudantes foram prejudicados com a divulgação do seu baixo desempenho nas provas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.