UNE aprova renegociação de crédito educativo

A União Nacional dos Estudantes (UNE) aprovou a iniciativa do governo federal de renegociar os financiamentos de estudos de graduação pelo Programa de Crédito Educativo (Creduc) - e que agora permite a quitação do débito à vista pelos universitários. "Nós achamos a medida importantíssima porque o Estado não consegue atender à demanda de acesso ao ensino superior. Então, boa parte dos alunos precisa entrar na iniciativa privada e o Creduc é uma maneira de mantê-los nestas instituições mesmo com as altas mensalidades", argumentou Gustavo Petta, presidente nacional da UNE. A Caixa Econômica Federal (CEF) vai oferecer descontos de 80% e 90% aos 199 mil estudantes e ex-estudantes que financiaram seus estudos de graduação pelo Creduc. O prazo de pagamento poderá chegar a 12 meses, mas, neste caso, o perdão da dívida será menor. Com 84% de inadimplência, o Creduc já não atende novos alunos. A renegociação das dívidas, no valor de R$ 1,5 bilhão, foi prevista em Medida Provisória e aprovada este ano pelo Congresso. As agências da Caixa começarão a atender os interessados a partir do próximo dia 23. "Muitos destes estudantes, devido às dificuldades econômicas, não conseguem obter o emprego desejado quando saem da universidade e, portanto, não conseguem fazer o pagamento da dívida", explicou Petta. Segundo ele, o financiamento a estudantes não pode ser visto apenas como um empréstimo bancário pelo governo, mas como investimento social. O Creduc foi criado em 1975 e financiou mais de 1 milhão de alunos. Os cursos mais procurados foram direito, pedagogia, ciências contábeis, letras e administração.

Agencia Estado,

06 de março de 2004 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.