José de Souza Martins/AE
José de Souza Martins/AE

Uma eleição para inglês rir

Disputa para reitor de Cambridge opôs bilionário a dono de mercearia e ator

John F. Burns, THE NEW YORK TIMES

24 Outubro 2011 | 22h12

CAMBRIDGE - Criado há mais de 750 anos, o posto de reitor (chancellor) da Universidade Cambridge teve como último ocupante o príncipe Philip - sucessor de duques e até  de um bispo decapitado por Henrique VIII. Mas nunca teve um candidato como Abdul Arain, dono de mercearia Al Amin.

 

Arain, de 46 anos, teve 312 dos 6 mil votos na disputa, definida no dia 16. Ficou em quarto e último lugar, mas ajudou a garantir a primeira eleição sem candidato único em mais de 150 anos.

 

A corrida foi vencida pelo bilionário lorde David Sainsbury, de 71, herdeiro de uma cadeia de supermercados, com 52% dos votos. O novo reitor centrou a campanha em temas acadêmicos. Arain tinha uma “cruzada”: impedir a abertura de um supermercado Sainsbury diante de sua loja, na Mill Road.

 

“Se a Sainsbury chegar, perderemos um monte de lojas e o senso de comunidade”, disse Arain, para quem a Mill Road encarna “o cosmopolitismo de Cambridge”.

 

Sainsbury, cuja fundação doou US$ 200 milhões a Cambridge, saudou a “eleição amistosa”. “Se topar com ele, vou atirá-lo no rio”, disse o ator Brian Blessed, de 75, rival mais direto de Sainsbury. Na campanha, Blessed prometeu “roubar todos os livros da biblioteca”. Teve 25% dos votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.