Um terço das cidades tem média 2 ou menor no ensino básico

Cerca de 30% dos municípios brasileiros - 1,8 mil cidades - têm média igual ou menor a 2 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A média nacional é 4, mas o País tem como meta chegar a 6, em 15 anos. A informação foi dada na terça-feira, 17, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. ?Estou citando só municípios porque não há nenhum Estado numa situação tão crítica?, disse.O Ideb está em fase final de elaboração pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O índice usará uma escala de 0 a 10, levando em conta avaliações, repetência e evasão escolar.A meta de atingir a média 6 deve-se ao fato de que, segundo Haddad, os países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) teriam essa nota. Para chegar a esse patamar, o País precisaria aumentar sua média no Sistema Nacional da Avaliação Básica (Saeb) em 50 pontos. Ou seja, alunos de 4ª série teriam de passar a ter um conhecimento que hoje equivale ao dos alunos de 8ª.O ministro participou, em São Paulo, de um encontro promovido pelo Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife). Ele apresentou as linhas gerais do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) a um grupo de representantes de instituições ligadas, principalmente, a grandes bancos e empresas. O projeto ambiciona estabelecer sistemas de definição de metas, de avaliação e de cobrança de resultados nas escolas de todo o País.Haddad anotou sugestões, críticas e perguntas. Muitas delas referiam-se a investimentos e gestão. ?O Brasil realmente deixa a desejar em investimentos?, disse.Segundo ele, a implementação do PDE deve enfrentar dificuldades políticas e administrativas. ?Os municípios que aderirem terão de abrir mão de certas prerrogativas, como a de escolher um diretor de escola por questões políticas, e fazer escolhas por mérito?, afirmou. ?E há questões de ordem executiva. O MEC tem de se preparar para implementar o plano, o que não é fácil.?Uma comissão do Gife reuniu-se ontem para avaliar o encontro e divulgou nota, informando que quer conhecer melhor as propostas do governo e deve apoiá-las, caso contemplem dez pontos considerados essenciais. Entre eles estão a formação de um pacto multissetorial e a priorização de políticas de Estado em detrimento das políticas de governo.

Agencia Estado,

18 de abril de 2007 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.