Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Último dia de Fuvest será decisivo para conseguir vaga, dizem professores

Prova exigiu conhecimentos mais complexos e específicos; exame desta terça teve muitos mapas, tabelas e infográficos

Guilherme Soares Dias e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

06 Janeiro 2015 | 19h09

SÃO PAULO - O último dia de provas da fase final da Fuvest, exame que dá acesso à Universidade de São Paulo (USP), foi difícil, segundo a maioria dos alunos e professores de cursinhos ouvidos pelo Estado. O teste desta terça-feira, 6, para eles, cobrou mais conhecimentos específicos de cada matéria, além de exigir cálculos e interpretações mais complexas. As notas dessas provas serão decisivas para definir quem fica com a vaga.

Os estudantes responderam a 12 questões de duas ou três disciplinas específicas, a depender da carreira pretendida. “Exigiu capacidades de redação e resolução com conhecimentos aprofundados”, afirma Célio Tasinafo, diretor da Oficina do Estudante. A maioria das questões, segundo ele, não davam chance para chutes. 

Para Edmilson Motta, coordenador do cursinho Etapa, os testes foram abrangentes, com os temas mais importantes de cada disciplina. “É uma prova muito boa para quem que se preparou. Esse não tomou sustos”, comenta. Com mapas, infográficos, tabelas e imagens, os professores destacaram os vários níveis de interpretação cobrados pela prova. 

Exatas. Química e Matemática foram apontadas como disciplinas de maior complexidade. Diferentemente dos outros dias, a prova demandou cálculos mais difíceis. "Matemática pedia fórmulas e técnicas para resolvê-las", comenta Célio Tasinafo. 

Já na opinião de Edmilson Motta, Química foi a matéria mais complicada. "Junto de Português, no primeiro dia, essa matéria deve desempatar em Medicina, por exemplo, um dos cursos mais concorridos", avalia. 

De acordo com Lilio Paolilello, diretor pedagógico do Cursinho da Poli, a prova foi trabalhosa.“Tinha nível de dificuldade grande. Na resolução, uma parte da questão dependia da outra, se não soubesse ítem 'A' não conseguiria resolver o 'B'”, exemplifica. Para Vera Lúcia Costa Antunes, do cursinho Objetivo, Exatas foi o conjunto de disciplinas mais complicado desta terça.

Biológicas. O teste de Biologia não trouxe empecilhos aos candidatos, segundo professores consultados pelo Estado. “Tinha resolução fácil. Só uma das questões apresentou maior complexidade (a dos esqueletos de animais)”, avalia Vera, do Objetivo. O professor Edmilson Motta, do Etapa, classificou como a mais difícil a questão de Genética.

Humanas. Geografia e História, segundo professores, demandaram vários tipos de leitura de informações, com mapas, tabelas e imagens, tendência já observada na prova de segunda-feira, 5. Lilio Paolilello ainda destacou a opção de focar no Brasil na prova de História, além da presença de textos mais acadêmicos nas questões. “Pedia habilidades mais reflexivas, como faz o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)”, afirma. 

Estão em disputa 11.057 vagas na USP e 120 cadeiras no curso de Medicina da Santa Casa. A lista de aprovados sai em 31 de janeiro.

Mais conteúdo sobre:
fuvest

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.